07/06/2021

Espaço Saúde e Bem Estar | Dieta Cetogénica | Waffle Cetogênico c/ Farinha de Castanha de Caju | Receita

Olá a todos os meus queridos leitores e seguidores... Na esperança de que tenham tido um fim de semana descansado (quiçá alargado por conta do feriado no último dia 3 de Junho) venho aqui deixar-vos uma receita fantástica, criada pelo nosso mais recente leitor e, talvez, futuro seguidor assíduo Pedro Camargo, fundador do blogue Batata Assando.

Assim sendo, passo a transcrever para aqui as palavras do Pedro e a receita que ele disponibilizou para partilhar com todos os leitores/seguidores do Sinfonia, e aproveita para, desde já, agradecer, tanto a receita como as palavras que dirigiu aqui ao nosso pequeno espaço.

"Em primeiro lugar eu gostaria de agradecer à Vera pelo espaço disponibilizado para a publicação dessa receita cetogênica de Waffle.

Eu encontrei o post da Sinfonia dos Livros sobre a dieta cetogénica e achei incrível. Excelentes informações – explanadas de maneira bastante simples e direta, de modo que o leitor entende muito bem como se alimentar de maneira saudável para perder peso com a dieta cetogênica.

Para mim é uma honra ter este espaço cedido para a publicação dessa receita cetogênica de Waffle – uma das minhas favoritas. Que se encaixa muito bem no café da manhã – momento em que muitas
pessoas sentem dificuldade de se alimentar de maneira correta na dieta cetogênica (ou cetônica).

Vamos ver então como preparar essa delícia com quase zero hidratos de carbono."

Waffle Cetogênico com Farinha de Castanha-de-Caju

Ingredientes
● 1 xícara de farinha de castanha de caju
● ¼ xícara de adoçante eritritol (mais ou menos 3 colheres de sopa
cheias)
● 4 ovos inteiros
● 1 colher de chá de bicarbonato de sódio (pode substituir por
fermento químico, na mesma quantidade)
● 1 colher de sopa de psyllium
● cobertura a gosto.
Sugestões para Cobertura: pasta de amendoim ou chocolate com
porcentagem de 85% cacau derretido e misturado com óleo de coco, para
que fique mais cremoso e pastoso, como deve ser uma cobertura.

Modo de Preparo
Misturar todos os ingredientes secos (farinha, psyllium, eritritol e bicarbonato de sódio);
Acrescentar os ovos e tornar a misturar, até que fique homogêneo;
Levar à máquina de waffle e cozinhar por 5 minutos (ou pelo tempo suficiente para que fique pronto);
Retirar, passar a cobertura a gosto e servir.

Ps 1: também pode ser feito na frigideira.

Ps 2: se você não quer adaptar o Waffle, uma dica é que distribua a massa por forminhas de silicone, e asse como mini bolos.


Espero que tenha gostado da receita, caro leitor!

E fica de presente a você, que gosta e acompanha o trabalho da Sinfonia dos Livros, este ebook gratuito com minhas 10 receitas cetogênicas favoritas.


E por hoje é isso, abraços —
Pedro Camargo, autor e criador do Batata Assando.

Ao Pedro o nosso muito obrigada pela receita que tem todo o ar de ser maravilhosa, e pela oferta que nos fez ao disponibilizar o seu ebook totalmente gratuito!!

Até à próxima publicação

Novidade Saída de Emergência | A Melodia do Passáro Amarelo | Jennifer Rosner

Deslumbrante e arrebatador, A Melodia do Pássaro Amarelo é uma prova do triunfo da esperança mesmo nos piores momentos.

Um romance extraordinário e comovente sobre a música, o silêncio e a esperança perante escolhas impossíveis


Polónia, 1941. Róża e a sua filha de cinco anos, Shira, têm de se refugiar num celeiro quando os nazis iniciam a perseguição aos judeus. Escondida dia e noite, Shira tem dificuldade em permanecer quieta e em silêncio, com a música a percorrer-lhe o corpo e a quinta convidativa lá fora. Para a acalmar, Róża conta-lhe a história de uma menina num jardim encantado, onde um pássaro amarelo canta as melodias com que ela sonha. Neste mundo de fantasia, Róża consegue proteger Shira dos horrores que as cercam. Até ao dia em que o abrigo deixa de ser seguro e Róża tem de tomar uma decisão impossível: manter Shira ao seu lado ou afastar-se para lhe dar uma hipótese de sobreviver.

Jennifer Rosner é autora de vários livros para crianças. 
A Melodia do Pássaro Amarelo é a sua estreia na ficção para adultos. Os seus trabalhos já foram publicados no The New York Times, The Massachusetts Review, The Forward, entre outras publicações. Para além de escrever, é professora de Filosofia.
Estudou na Universidade de Columbia e de Stanford. 
Vive com a família no Massachusetts.


28/05/2021

O Mundo Asiático #1 - As Duas Coreias (Norte e Sul)

 Olá a todos!

Tal como prometido, embora com uma semana de atraso, vou dar início à nossa nova rubrica semanal.

De início, quando pensei nesta rubrica tencionava falar só sobre os chamados "doramas" (drama de televisão) e sobre a onda de Pop Asiático que se instalou por todo o mundo. 

No entanto, acho que falar sobre o mundo asiático é tão mais do que isso. Naturalmente, as minhas publicações vão incidir mais sobre o que estou mais à vontade que são os Animes, Mangas, Doramas e K-Pop (dentro do possível), mas sempre que puder e encontar alguma coisa interessante para partilhar com vocês sobre este mundo maravilhoso que é o asiático, assim o farei. 

Espero que gostem!

**********

As duas Coreias

As duas Coreias, a do Norte a do Sul, surgiram da divisão do território coreano durante a Guerra Fria. Essa fragmentação perdura até os dias actuais

A Coreia constituía um único país, dominado pelos chineses. Em 1910, após ser derrotada pelo Japão, a China perdeu o domínio do território para os japoneses. No entanto, em 1945, com a derrota do Eixo (Alemanha, Itália, Japão) na segunda Guerra Mundial, as tropas japonesas foram expulsas da Coreia, havendo a ocupação dos soviéticos e estadunidenses.

Com o início da Guerra Fria (conflito entre Estados Unidos e União das Repúblicas Socialistas Soviéticas), a Coreia, em 1948, foi dividida conforme os interesses geopolíticos das duas potências mundiais, facto ocorrido também na Alemanha.

O marco divisório constituído pela fragmentação foi estabelecido durante a Conferência de Potsdam, mais precisamente em Yalta e Ptstan, no paralelo 38°. Foram criadas duas nações autônomas com ideologias geopolíticas contrárias: a República Popular Democrática da Coreia (Coreia do Norte), com sistema comunista; e a República da Coreia (Coreia do Sul), com o sistema capitalista.

Com as divergências políticas e sistemas econômicos antagônicos entre as duas Coreias, aliados às reivindicações territoriais, criou-se um cenário de instabilidade, que acabou eclodindo em um confronto armado entre os dois países.

A Guerra da Coreia teve início no dia 25 de junho de 1950, quando tropas militares norte-coreanas, sob o pretexto de violação do paralelo 38° por parte da Coreia do Sul, invadiram o território vizinho. Na realidade, o verdadeiro intuito era unificar o país e estabelecer o socialismo como sistema político. Tropas estadunidenses foram enviadas para auxiliarem a Coreia do Sul no confronto, no qual os chineses deram apoio militar à Coreia do Norte.

Somente em 27 de julho de 1953, através da assinatura do Armistício de Panmunjom, a paz foi estabelecida, haja vista que o acordo manteve a fronteira criada em 1948. No entanto, o conflito continua sem solução definitiva e ainda provoca tensões entre os dois países, principalmente após o desenvolvimento de armas nucleares na Coreia do Norte.

Os dois países apresentam grandes diferenças socio-económicas, uma vez que as políticas económicas adoptadas, refletem no desenvolvimento de cada um. Actualmente, a Coreia do Norte necessita de auxilio humanitário de outros países, o sector industrial está em declínio e a agricultura é a principal actividade económica desenvolvida no país. A Coreia do Sul por sua vez, apresenta grande desenvolvimento económico, fruto da política democrática estabelecida no fim da década de 1980, investindo maciçamente no sistema educacional, promovendo a industrialização nacional e integrando-se no quadro dos países chamados de Tigres Asiáticos.

Coreia do Norte
Área: 120.538 km²
PIB: 14.753 milhões de US$
PIB per capita: 618 US$
População urbana: 63%
Esperança de vida: 67 anos
População subnutrida: 32%
Capital: Pyongyang Tendência
Supremo líder: Kim Jong-un
População: 25,67 milhões (2019) 
Moeda: Won norte-coreano
Governo: Ditadura, Juche, Estado socialista, Unipartidarismo

Coreia do Sul
Área: 99.016 km².
PIB: 956.788 milhões de US$
PIB per capita: 9.841 US$
População urbana: 81,7%
Esperança de vida: 78,2 anos
População subnutrida: menor que 5%
Capital: Seul
Presidente: Moon Jae-in
População: 51,71 milhões (2019)
Moeda: Won Sul-Coreano
Destinos: Seul, Busan, Jeju, Gyeongju, Incheon

Fontes:

13/05/2021

Nova Rubrica Semanal - O "Mundo" Asiático

 Olá a todos! Espero que se encontrem bem, seguros e de saúde... 

Quis a conjuctura que hoje todos vivemos que algumas coisas se metessem no meio das minhas publicações aqui no Sinfonia. Se querem que vos seja sincera, apesar de adorar este meu cantinho que partilho com todos vocês, pensei seriamente em fechá-lo. Isto porque a minha animação para ler tem sido praticamente nula e, a bem da verdade, ler por obrigação, porque assim o devia às editoras que colaboram comigo, e não por prazer já não me estava a "encher as medidas". Tenho lido menos, mas quando leio, faço-o porque quero e porque gosto e não porque tenho de o fazer...

Assim, alarguei os meus horizontes e decidi dar mais uma oportunidade a séries, na sua grande maioria asiáticas, mais conhecidas por doramas e à música, também ela asiática. Tenho quarenta anos mas sempre adorei descobrir e ter a mente aberta e tudo o que é "novo" ou fora da caixa. Assim, a par com um novo projecto que iniciei na minha vida e que me vai permitir ter uma cultura mais rica, decidi abraçar o mundo e a cultura asiática que eu tanto gosto e sempre gostei, começando pelos Animes, pelos Mangas desde muito nova, e por tudo o que vinha por acréscimo. Tenho de ser sincera e admitir que, desde que estive uma semana na China, em 2014, fiquei fascinada e olhem que preferia mil vezes ter ido ao Japão e à Coreia do Sul, a minha mais recente paixão cultural.

Assim sendo, e como tenho visto muitas séries asiáticas, na sua maioria coreanas e ouvido muita música da mesma nacionalidade, vou tentar, semanalmente, fazer uma ou duas publicações que incluirá factos sobre a cultura asiática, música asiática e séries/filmes asiáticos que vou vendo e que mais gostei, incluíndo anime e manga, sempre que assim eu vir que vale a pena. Nessas publicações tentarei ser o mais sucinta mas precisa nas informações que vos passo tanto seja sobre a cultura, como sobre o que vou ouvindo e vendo por estes dias.

Não quer dizer com isto que vou deixar de ler ou de publicar aqui as minhas opiniões, mas como não quero que o blogue fique parado, esta foi uma forma de manter o espaço vivo e actual. 

Perdoem-me, desde, já por alguma semana que não me seja possível fazer qualquer publicação para vocês, mas entre tele trabalho, trabalho presencial, escolas fechadas/abertas, novo curso, trabalho doméstico (pois claro, porque não posso dar-me ao luxo de ter empregada :p ), etc etc, por vezes fica difícil coordenar e conseguir fazer tudo aquilo que queria. 

Vamos ver se consigo ser regular!

Espero que gostem desta minha nova ideia e que me acompanhem, como até agora! Também estou aberta a opiniões e sugestões. Acham que faço bem em incluir esta rubrica aqui num blogue que, supostamente, seria só literário? Acham que devia criar um blogue só para este tipo de tema ou está bem aqui?  

Aguardo pelas vossas opiniões!

06/04/2021

Opinião | Daqui a 5 Anos | Rebecca Serle | ASA

 


Dannie tem um emprego que adora, um apartamento perfeito e um namorado maravilhoso. Mas poderá ela dizer que tem tudo?
PODE, SIM! Pois a sua vida está a avançar de acordo com o plano que há muito traçou para si própria. Dannie não podia ser mais feliz. Ou será que podia?

Um dia, ela adormece... e ao despertar, descobre que está num apartamento diferente, com um homem diferente, numa vida que não é a sua. Consegue perceber pela televisão que a noite é a mesma... mas cinco anos para a frente, em 2025.

Dannie acorda sobressaltada pela intensidade daquele sonho. Teria sido mesmo um sonho? Foi tudo tão verdadeiro... Seria uma premonição? Mas, sendo ela uma rapariga prática, está determinada a não voltar a pensar no assunto e nem sequer conta à sua melhor amiga, Bella. Dannie vai continuar com a sua vida como se nada fosse...

Mas quatro anos e meio depois depara-se precisamente com o homem daquele sonho, e percebe que tem perante si um dilema que não tem solução.
Uma história inesperada, que nos traz uma profunda mensagem sobre os sonhos, a vida, e a natureza imprevisível do Destino.

3.5/5 ✨

Não sei porque levei tanto tempo a acabar este livro...

Nota à parte: Ando num bocado off de leituras este ano. Creio que será por causa do confinamento que vai e vem e faz com que, do nada, nos apercebamos que há mais coisas para fazer sem ser só ler... Tenho visto muitas séries, coreanas na sua maioria. Deixei-me um bocado das séries americanas que toda a gente vê... Acho que as asiáticas têm mais sinceridade e mais pureza. Mas isto sou eu.. Gostos não se discutem...
Agora, tenho centenas de livros para ler. Uns mais antigos, outros mais recentes mas, apesar de ter o Sinfonia dos Livros , não tenho tido paciência para andar a pedir livros as editoras pois sei que não vou conseguir cumprir prazos de leitura e de publicação de opiniões. O Sinfonia vai continuar mas agora de uma forma mais casual e informal. Tira-me muita pressão dos ombros e permite-me tirar real prazer das leituras, poucas ou muitas. Os desafio também só vou manter o do Goodreads e o anual do Sinfonia dos livros - Grupo. Espero que continuem a seguir o blogue e a ler as minhas opiniões.

Em relação a este livro... Foi-me oferecido pela minha filhota, pelo Natal. Estava na minha wishlist e ela teve o cuidado de ter escolhido um que eu queria mesmo. É um livro que, apesar de passar a ideia, nos primeiros capítulos, de ser uma história romântica, é muito mais do que isso... Acho que foi essa indefinição que fez com que levasse tanto tempo a ler 255 páginas... (Normalmente, seria lido numa tarde.. Mea Culpa.)
É, isso sim, uma história entre duas pessoas que se amam acima de tudo. Um amor sincero, puro, verdadeiro e inquebrável. Uma relação de cumplicidade, amizade e dedicação como raramente se vê.
Um acaso trágico permite que tenhamos acesso a uma relação dessas. No final, será difícil não ficar a pensar no que realmente interessa na vida e no que nós, tantas vezes, desperdiçamos atenção e esforço, abdicando daquilo que nos faz feliz e que nos completa a alma.
Só não dei mais estrelas porque, de facto, até meio do livro é muita "palha". Anda-se muito à volta da mesma coisa e acho que não havia necessidade. De resto, acho que será uma leitura muito prazerosa.