02/08/2016

Opinião | O Beijo da Noite | Sherrilyn Kenyon

Predador da Noite... um guerreiro imortal que entregou a alma a Ártemis por uma oportunidade de vingança contra os seus inimigos. Em troca, jurou passar a eternidade a proteger a humanidade dos daemon e dos vampiros que se alimentam dela. O Predador da Noite Wulf é um antigo guerreiro viking com um poder útil mas muito irritante: amnésia. Ninguém que o conheça pessoalmente se lembra dele passados cinco minutos. Torna fáceis os engates de uma noite, mas difícil qualquer relacionamento mais sério e, sem encontrar o amor verdadeiro, não poderá recuperar a alma. Depois conheceu Cassandra, a única mulher capaz de se lembrar de si. No entanto, enquanto princesa da raça amaldiçoada que Wulf jurou caçar, ela está-lhe proibida... Mais uma obra fenomenal que coloca Sherrilyn Kenyon directamente no topo do melhor romance paranormal.

Já tinha saudades desta saga Predadores da Noite. Aos poucos vou conseguindo colocar as histórias de todos os Predadores em dia. Vai ser difícil mas vou conseguir, vão ver!

À semelhança dos anteriores volumes desta saga que li até à data, gostei imenso de conhecer mais a fundo outro dos Predadores da Noite e todas as restantes raças que também compõem estas histórias, embora por vezes ainda fique um pouco confusa com tantas personagens tão intrinsecamente ligadas.
Esta é a história de Wulf, um Predador Viking que tem como poder (se é que assim se pode chamar porque a certa altura torna-se aborrecido) muitas vezes de grande utilidade que é a amnésia. Todos os que ele conhece ao longo da vida, não levam mais de cinco minutos para se esquecerem dele. Se por um lado é útil para alguém que não quer, de modo algum, um relacionamento duradouro, por outro lado também para torna-se frustrante ter de se apresentar constantemente às mesmas pessoas que fazem parte do seu dia-a-dia. No entanto, se até aquela altura tinha-lhe dado jeito ninguém lembrar-se dele, agora que ele Cassandra, uma herdeira Apollite que sabe que a sua vida provavelmente terminará aos vinte e sete anos para poder quebrar a maldição imposta a toda a raça Apollite e Daemon. Todos sabemos que os Predadores da Noite existem para exterminar os malvados Daemon, no entanto, Cassandra está disposta a aceitar a sua morte pois não quer, de todo, transformar-se em Daemon. Mas, apesar de ser uma pessoa boa e às direitas, a sua raça não permite que se relacione com Wulf e ela é a única que se lembra dele de todas as vezes que se encontram.
Será preciso as artimanhas de Artémis para que se possa passar por cima das inconveniências das duas raças e Cassandra engravida de Wulf. Escusado será dizer que Wulf e Cassandra tudo farão para poderem ficar juntos e trazer ao mundo a solução para quebrar a maldição sem que seja preciso Cassandra morrer, embora este facto esteja sempre presente em tudo o que eles fazem porque não há certezas de nada.
Um personagem que sempre me fez rir e sempre ajudou a desanuviar o ambiente, por vezes pesado: Chris, escudeiro e parente de Wulf, o único que consegue lembrar-se dele para além de Cassandra e que até àquela altura era a esperança de Wulf para dar continuação à sua "linhagem" e ter mais alguém que sempre se lembrasse dele. Pobre rapaz carrega nos ombros uma pesada e complicada missão, quanto mais não seja porque Wulf quase o coloca numa redoma e tentar acasalá-lo com todo o rabo de saia. 
Estou ansiosa por poder ter tempo de ler o seguinte.

Sem comentários:

Publicar um comentário

O seu comentário é valioso!
Obrigada pela visita e volte sempre!