28/09/2016

Passatempo Aniversário | Tudo, Tudo... e Nós | Presença | #4

O Sinfonia dos Livros em parceria com a Editorial Presença, tem o prazer de vos trazer a oportunidade de ganharem um exemplar deste "Tudo, Tudo... e Nós" de Nicola Yoon.
Para se poderem habilitar a receber este livro só têm de fazer o seguinte: 
 1) Ser seguidor do blog Sinfonia dos Livros 
2) Clicar "Gosto" na página do Facebook do Sinfonia dos Livros e da Editorial Presença 
3) Partilhar o passatempo no vosso Facebook e/ou blog e deixar o link de partilha no formulário. 
4) Preencher correctamente o Formulário abaixo. 
5) O passatempo decorre a partir de hoje até às 00h00 (horas continentais) do dia 06 de Outubro de 2016. 
6) O vencedor será sorteado aleatoriamente, de entre aqueles que cumprirem com o estipulado, sendo o anúncio feito na página do facebook do Sinfonia dos Livros, para o email do/a vencedor/a e também no blog. 
7) Cada pessoa só pode concorrer em seu nome uma (1) vez por dia. 
8) Por motivos logísticos só serão aceites participações de residentes em Portugal e ilhas dos Arquipélagos dos Açores e da Madeira. 
9) O Sinfonia dos Livros e a Presença não se responsabiliza por extravios.

27/09/2016

Novidade Porto Editora | Como Vento Selvagem | Sveva Casati Modignani

Como Vento Selvagem marca o regresso de Sveva Casati Modignani 
Uma história tão romântica quanto dolorosa 

A Porto Editora publica, no próximo dia 4 de Outubro, Como Vento Selvagem, romance de Sveva Casati Modignani até agora inédito em Portugal. 

Numa história tão romântica quanto dolorosa, a grande signora da narrativa italiana transporta os leitores através da Itália dos anos 90, do charme dos circuitos de Fórmula Um ao submundo da máfia. Após um acidente na pista de Monza, o carismático campeão Mistral Vernati luta pela sobrevivência no hospital. No estilo inconfundível daquela que é uma das autoras de maior sucesso em Portugal, a soberba intriga criada por Sveva Casati Modignani dá vida a personagens inesquecíveis, com motivações diversas e nem sempre confessáveis, que irão culminar na descoberta da verdadeira história de Mistral. Com obras como Baunilha e Chocolate, Um Dia Naquele Inverno, A Família Sogliano ou ainda o mais recente A Vinha do Anjo, Sveva é um caso ímpar de popularidade e fidelidade entre os leitores portugueses. Como Vento Selvagem é o seu décimo quinto título publicado pela Porto Editora.
Mistral Vernati, o grande campeão de Fórmula Um, está em coma no hospital, depois de um terrível acidente na pista de Monza. Enquanto Mistral luta pela vida, uma pequena multidão de personagens move-se à sua volta, com motivações diversas e nem sempre confessáveis. Maria, a companheira, o seu primeiro e único amor; a mãe, que nunca conseguiu compreender as suas opções de vida, mas para quem ele era a sua razão de viver; Chantal, a mulher que nunca o libertou de um casamento falhado, e que mesmo naquele momento dramático só pensa em arruiná-lo; os filhos, Manuel e Fiamma. Entre recordações e segredos, descobriremos a verdadeira história de Mistral e Maria.

Reconhecida como a grande signora do bestseller italiano, com mais de 11 milhões de exemplares vendidos, Sveva Casati Modignani está traduzida em 17 países e é hoje uma das autoras mais populares em Portugal. No catálogo da Porto Editora figuram já os seus romances Feminino Singular, Baunilha e Chocolate, O Jogo da Verdade, Desesperadamente Giulia, O Esplendor da Vida, A Siciliana, Mister Gregory, A Viela da Duquesa, Um Dia Naquele Inverno, O Barão, A Família Sogliano, 6 de abril ’96 e A Vinha do Anjo. A sua obra autobiográfica, O Diabo e a Gemada também já se encontra publicada no catálogo da Porto Editora.

Passatempo Aniversário | O Despertar do Adormecido | Editorial Bizâncio | #3

O Sinfonia dos Livros em parceria com a Editorial Bizâncio, tem o prazer de vos trazer a oportunidade de ganharem um exemplar deste "O Despertar do Adormecido" de Alistair Morgan.


Para se poderem habilitar a receber este livro só têm de fazer o seguinte: 
 1) Ser seguidor do blog Sinfonia dos Livros 
2) Clicar "Gosto" na página do Facebook do Sinfonia dos Livros e da Editorial Bizâncio 
3) Partilhar o passatempo no vosso Facebook e/ou blog e deixar o link de partilha no formulário. 
4) Preencher correctamente o Formulário abaixo. 
5) O passatempo decorre a partir de hoje até às 00h00 (horas continentais) do dia 05 de Outubro de 2016. 
6) O vencedor será sorteado aleatoriamente, de entre aqueles que cumprirem com o estipulado, sendo o anúncio feito na página do facebook do Sinfonia dos Livros, para o email do/a vencedor/a e também no blog. 
7) Cada pessoa só pode concorrer em seu nome uma (1) vez por dia. 
8) Por motivos logísticos só serão aceites participações de residentes em Portugal e ilhas dos Arquipélagos dos Açores e da Madeira. 
9) O Sinfonia dos Livros não se responsabiliza por extravios.

Opinião | A Loucura de Lorde Ian Mackenzie | Jennifer Ashley

A maioria das mulheres prestaria atenção aos avisos.
Beth decidiu ignorá-los…
Por toda a sociedade londrina correm rumores de que Lorde Ian Mackenzie é louco, que terá passado a sua juventude num asilo, e que não é de confiança, especialmente com senhoras.
Beth é uma jovem viúva, herdeira de uma fortuna, que está outra vez noiva e que deseja voltar a ser tão feliz quanto foi com o primeiro marido. Quando é apresentada a Lorde Ian Mackenzie, este apaixona-se imediatamente e não tem dúvidas de que a quer para si. Procura, então, convencê-la a deixar o noivo e a casar-se consigo.
Beth acaba por se deixar seduzir e decide fazer tudo para ajudar Lorde Ian a superar o sofrimento que carrega, devido a um passado tormentoso.
A partir de então, só uma coisa faz sentido na vida de Beth… a loucura de Lorde Ian Mackenzie.

Jennifer Ashley é a nova aposta da editora para os romances de época com um toque de "picante". Adorei conhecer uma nova autora e ter sido apresentada a mais uma família que ainda vai dar muito que falar.
Admito que no principio achei algo estranho a autora ter optado por criar uma personagem como o Ian. Um homem estranho que demonstra, desde o início, ser alguém diferente dos demais. Assim que comecei a ler, veio-me logo à cabeça que Ian parecia ser autista. Uma condição que na altura, por não haver desenvolvimentos na medicina virada para a psicologia, era considerada como sendo demência ou loucura. Ora, Ian podia ser muita coisa, mas uma coisa que ele não era, era louco. Era um homem com uma personalidade vincada, uma mente brilhante e de uma inteligência rara, e um coração do tamanho do mundo. Desde muito jovem passou por situações traumáticas que em muito ajudaram a que ele tivesse os problemas comportamentais que tinha. Um pai violento, um historial familiar muito duvidoso, pois ninguém gostava dos irmãos e um presente atribulado e cheio de desconfianças e tragédia. Agora, em relação a Beth, a jovem viúva que herdou a fortuna da sua antiga Senhoria. A mulher que outrora foi esposa do vigário da aldeia e que foi feliz e amada por apenas um ano. É Beth que vai "salvar" Ian de um passado violento, um presente atribulado e um futuro desgraçado.
Uma vez que é ainda jovem, decide que o melhor a fazer é casar-se novamente, no entanto, não escolhe é acertadamente com o noivo. É Ian que também a salva de um noivo interesseiro e aldrabão, roubando-a dele mesmo debaixo do seu nariz. Essa parte foi absolutamente hilariante. Ian, à sua maneira caricata, assim que põe os olhos em Beth, decide que ela é como a mais fina das porcelanas e que tem de ser sua e quando ele assim decide, vai até ao fim, sem olhar a consequências, meios ou a pessoas que possam ser abalroadas no processo. Beth ensina-o a amar, a ser uma pessoa mais calma e ensina-o a partilhar sentimentos e a compreendê-los. Já podem imaginar que tipo de mulher é que Beth é. Ao longo do livro ela demonstra várias facetas da sua personalidade, mas acima de tudo mostra ser uma mulher com garra e com um amor à vida que faz com que todos à sua volta se sintam completamente conquistados. Adorei a forma como ela sempre acreditou em Ian, ainda que mais ninguém o fizesse. Ela foi o suporte dele, tanto física como mentalmente. 
Achei interessante a forma como a autora conseguiu introduzir um mistério tão bem elaborado no meio de uma relação cheia de altos e baixos como a que era a de Ian e Beth. De uma forma muito inteligente, Jennifer Ashley consegue agarrar o leitor com uma escrita simples, fluída e ao mesmo tempo romântica e apaixonada.
Todos os irmãos de Ian foram apresentados neste primeiro livro, e será um gosto conhecer cada um deles com mais detalhes e ter acesso às suas histórias.
Adoro livros assim.
(Este exemplar foi gentilmente cedido pela TopSeller em troca de uma opinião sincera)

26/09/2016

Lançamento Elsinore | BRUCE SPRINGSTEEN - Autobiografia chega às livrarias amanhã

Para quem procura lições de vida neste género de livros talvez encontre aqui uma bastante útil: para onde correr quando tudo nos diz para ficarmos parados.
Bruno Vieira Amaral, crítico literário, tradutor e autor, em Observador 

«O livro é como um dos concertos de Bruce Springsteen — longo, arrebatador, fatigante, repleto de picos e vales. A sua voz, na escrita, assemelha-se à sua voz na música. Born to Run é, como as suas melhores canções, detalhado de fio a pavio. A sua história é íntima e pessoal, mas revela o interesse de Springsteen por outras pessoas e um dom para as conhecer.» 
The New York Times

Foram poucas as vezes em que um artista contou a sua própria história com tanta força e coragem, equilibrando o lirismo de um músico singular e a sabedoria de um homem que reflectiu profundamente acerca das suas experiências de vida. Durante os últimos sete anos, desde uma actuação marcante no Super Bowl com a E Street Band, Bruce Springsteen tem-se dedicado a escrever a história da sua vida, recordando vividamente, com a honestidade, humor e originalidade que se encontram nas suas canções, a sua busca incessante em tornar-se músico.



Assim nasceu Born To Run, a autobiografia que chega às livrarias amanhã, dia 27, editada pela ELSINORE, chancela do Grupo 20l20 (576 páginas + 16 extra texto com fotografias inéditas l Tradução: Maria do Carmo Figueira e João Reis). 

Com uma sinceridade desarmante, Bruce Springsteen conta, pela primeira vez, a história das batalhas pessoais que inspiraram os seus melhores trabalhos. Em Born to Run, ele descreve o seu crescimento e a educação católica em Freehold, Nova Jérsia, rodeado de poesia, perigo e escuridão, que alimentavam a sua criatividade, num crescendo até ao momento fulcral do início da sua carreira, a que ele se refere como o seu «Big Bang»: ver a estreia de Elvis Presley na televisão norte-americana, no Ed Sullivan Show.
Recorda vivamente a sua motivação inabalável para se tornar músico, os primeiros tempos enquanto rei das bandas de bar em Asbury Park, e a formação da E Street Band. Com uma candura desarmante, conta, pela primeira vez, a história das batalhas pessoais que inspiraram os seus melhores trabalhos, e mostra-nos por que motivo a canção «Born to Run» revela mais do que as ideias que percebemos quando a ouvimos.

Born to Run será inspirador para todos quanto gostam de Bruce Springsteen; no entanto, esta obra é muito mais do que as memórias de uma lendária estrela do rock. Este é um livro para os trabalhadores e os sonhadores, para os pais e os filhos, para os amantes e os solitários, para artistas, freaks ou para quem sempre quis ser baptizado no rio sagrado do rock and roll. Como muitas das suas canções («Thunder Road», «Badlands», «Darkness on the Edge of Town», «The River», «Born in the USA», «The Rising» e «The Ghost of Tom Joad», para nomear apenas algumas), este livro entrará instantaneamente para a lista dos clássicos intemporais.

PREFÁCIO de BRUCE SPRINGSTEEN
Nasci numa cidade a beira‑mar onde quase tudo é contaminado por uma certa dissimulação. Incluindo eu. Aos 20 anos, sem qualquer espírito de rebeldia materializada em corridas loucas de carros, tocava guitarra nas ruas de Asbury Park e já era um membro de pleno direito do grupo dos que ≪mentem≫ a bem da verdade… artistas, com A pequeno. Mas tinha quatro grandes vantagens: era jovem, tinha quase dez anos de experiência em bandas de bares de má reputação, um bom grupo de músicos meus conterrâneos, habituados ao meu estilo, e uma história para contar.
Este livro é, ao mesmo tempo, uma continuação dessa historia e uma tentativa de descoberta das suas origens. Assumi como parâmetros os acontecimentos da minha vida que acredito terem dado forma a essa história e a minha vida como músico. Uma das perguntas que os fãs me fazem vezes sem conta é: ≪Como é que tocas assim?≫ Nas páginas que se seguem vou tentar explicar como e, mais importante ainda, porquê.

Kit de sobrevivência Rock ’n’ Roll

ADN, habilidade natural, estudo das técnicas, desenvolvimento e devoção a uma filosofia estética, puro desejo de… fama? Amor? Admiração? Atenção? Mulheres? Sexo? Ah, claro, e umas coroas. E depois, caso queiram continuar noite fora, um fogo voraz cá dentro que nunca se apaga, eterno.
Estes são alguns dos elementos que poderão dar jeito quando se esta frente a frente com 80 mil (ou 80) fãs de rock ’n’ roll que estão à espera de que façamos o nosso truque de magia. À espera de que tiremos qualquer coisa de dentro do chapéu, que façamos algo a partir do nada, que lhes ofereçamos algo nunca antes visto, qualquer coisa que, antes de toda a congregação se ter reunido, era apenas um rumor alimentado por uma canção. Estou aqui para apresentar a minha prova de vida perante o «nós», esse conceito fugidio e nem sempre credível. É este o meu truque de magia. E, como todos os bons truques de magia, começa com uma encenação. Assim sendo…