29/08/2016

Opinião | Jogos na Noite | Sherrilyn Kenyon

Bride McTierney está farta de homens. São reles, egocêntricos e nunca a amam pelo que ela é. Mas embora Bride tenha orgulho na sua independência, no fundo deseja o seu príncipe encantado. Apenas nunca pensou que este pudesse ocultar-se sob uma pele de lobo!
Alguém tão perigoso e atormentado como Vane Kattalakis não é quem parece. Um Predador do Homem na forma de lobo, ele é um alvo a abater pelos muitos inimigos. Vane não está à procura de uma parceira, mas as Parcas marcaram Bride como sua. Agora tem três semanas para a convencer de que o sobrenatural é real ou perderá o respeito dos seus pares. Mas como é que um lobo convence uma mulher a confiar-lhe a vida quando tem inimigos na sua peugada? Num mundo tão cruel como o dos Predadores humanos, o amor fará alguma diferença?

Este livro foi tão bom de ler!! A sério! Tenho a saga atrasada, mas agora estou decidida em colocá-la em dia e este livro foi um bom incentivo para continuar. Até agora, e apesar de ter gostado muito dos anteriores, este foi o que gostei mais. Metam cães, lobos, ursos e uma mulher com um corpo que se veja e que é admirada por isso, ainda mais por um homem/lobo e temos a "receita" perfeita para um livro *delicioso*. 
Vane é um lobo Katagaria, animais cuja forma é a do lobo do Ártico (absolutamente lindo!!), e, a par com o seu irmão Fang, é banido da sua matilha, após a morte da sua irmã quando protegia um dos inimigos, um Predador da Noite.
Vane e Bride são o casal romântico deste livro. Ela, uma mulher insegura que é constantemente lembrada das suas formas e curvas mais generosas do que as restantes mulheres. Obriga-se a fazer dietas e a passar fome para poder chegar ao tamanho de corpo "admitido na sociedade". Uma mulher que não se valoriza apesar de saber que é inteligente, perspicaz e amada pela sua família (pelo menos pelos pais e irmão que não se importam de ela ser como é). É Vane, que lhe vai mostrar que ela é uma mulher bonita e interessante, capaz de fazer virar a cabeça de qualquer homem na rua. Desde logo, sente uma ligação física e mental com Bride e desde que a conhece ,digamos que, mais intimamente ele marca-a, mesmo sem se aperceber, e só depois é que se apercebe do porquê de ter sentido uma atracção tão forte assim que a viu.
Este livro tem muita, mas muita acção e desde a altura em que Vane ajuda Bride a "passar por cima" da besta (ups) do ex-namorado dela até à fase em que Vane adopta um cão abandonado e descobre que tem mais um irmão sem ser Fang, muita água vai correr debaixo da ponte.
Adorei ver um Ash mais descontraído e bem humorado (adoro o Acheron e ainda nem li o livro dele) e a pequena Simi... que fofa que ela é, embora mortífera. 
A forma como Kenyon conjuga todas as personagens de modo a que de uma maneira ou de outra todos acabem por lutar uns pelos outros (pelo menos os que nós gostamos). Foi bom também ter um outro vislumbre de Valério, embora que dê sempre a ideia de que é rigoroso e soturno, acho que Valério será uma personagem muito interessante.
Que mais posso dizer? Que adorei? Isso vocês já devem ter reparado... estou ansiosa por chegar ao livro do Fang .... a este ritmo, não devo levar assim muito mais tempo a lá chegar! Vamos ver :)

Sem comentários:

Publicar um comentário

O seu comentário é valioso!
Obrigada pela visita e volte sempre!