11/05/2016

Opinião | Coisas que nos diz o Coração | Jessi Kirby

Quando o namorado morre num acidente, Quinn sofre uma perda terrível. O luto impede-a de viver como qualquer outra adolescente.
Tentando encontrar sentido para a dor, Quinn escreve a quem foram transplantados os órgãos do namorado. Apenas Colton Thomas, que recebeu o coração, não responde. Quinn procura-o. Desse encontro nasce uma relação intensa e inesperada que dá alento aos dois, antes tolhidos pela dor.
Mas uma mentira ameaça o coração desse relacionamento - Quinn sabe que tem de contar a verdade.
Aquele livro que nos arrepia e nos faz estar constantemente com as lágrimas nos olhos? Este! Li-o num dia! Acreditam? é incrível o poder das palavras que nos faz ficar agarrados a um livro por 6 ou 7 horas. Enquanto não o acabei de ler não descansei. Não consegui guardar os últimos capítulos para hoje. Tinha de saber que tudo correria bem no final, ou então não.
Sempre tive muito respeito pelas pessoas que são Dadores de Orgãos e neste livro, é disso que se fala. Na capacidade que as pessoas têm de, mesmo depois de morrerem, fazer a diferença na vida de outras pessoas. Trent é uma dessas pessoas que em vida decidiu que quando morresse, fosse quando fosse, outras pessoas necessitadas poderiam ter uma outra oportunidade com os seus órgãos bons e saudáveis. Ora, quis o destino que Trent, namorado adorado de Quinn, perdesse a vida ainda muito jovem e quis ele que cinco pessoas fossem salvas. Se já não poderia fazer bem vivo, faria o bem estando já morto. Das cinco pessoas a quem os seus órgãos foram doados, apenas uma não respondeu à carta de Quinn. E foi essa pessoa que fez com que ela se levantasse todos os dias, apenas com o intuito de a encontrar. 
Os familiares dos dadores podem contactar com os receptores desde que todos os contactos sejam filtrados pelo Instituto de Dadores de Orgãos. É tipo como se houvesse uma filtragem e depois as pessoas que recebem os contactos podem ou não responder. Foi o que aconteceu nesta história. 
Achei muito interessante o facto de antes de cada capítulo a autora ter colocado excertos referentes ao assunto, ou então apenas frases relativas com o coração a nível emocional.
Ora bem, se de um lado temos Trent, que faleceu aos dezassete anos num acidente, por outro temos Colton. O jovem que estava desde os catorze anos à espera de um novo coração porque o dele adoeceu e entrou em falência. É de Colton que Quinn vai à procura, pelo menos para conhecer a pessoa que carrega dentro de si o coração do amor da vida dela e que ela perdeu tão precocemente.
O que ela não prevê é que a ligação entre ela e Colton se revelasse tão forte e tão intensa. Desde o primeiro momento em que ela o viu que sentiu algo especial. Talvez por saber que ele carregava o coração de Trent, mas ao longo dos dias que passou com ele viu que afinal, o coração que ele carregava era agora dele e tão somente dele. Gostei imenso das personagens. Quinn, pela dor que sei que ela deve ter sentido e que sempre vai sentir pela perda de quem tanto amava. Pelo amor que tem à irmã e pelas emoções que nos transmite de cada vez que dá um passo em frente. Colton, pela sua força e pela sua suavidade. é um rapaz atencioso, inteligente e feroz nas suas convicções. Percebo perfeitamente o porquê de ele nunca ter respondido à carta que recebeu. Como se agradece a uma pessoa o facto de ter beneficiado com a morte de alguém que essa pessoa mais amava? Como se carrega o "fardo" e a responsabilidade de tomar conta do órgão mais importante no Ser Humano? Colton tem um amor imenso pela vida e cada dia é melhor que o anterior e ele bem faz por isso. Quando conhece Quinn Colton transforma-se e, quando sabe de toda a verdade toda a dor que sente desde o dia do transplante vem à tona e é mais forte que ele. Será que ele vai conseguir perdoar a Quinn o facto de ela nunca lhe ter dito que o conhecia? Que sabia que ele carregava o coração de Trent? Que havia sido ela a escrever aquela carta? este livro é a prova de que, por vezes, a dor consegue juntar as pessoas e que os corações podem, de facto, reconhecer e identificar sentimentos antigos, mesmo estando em outro corpo.
Devo dizer que este livro, esta história mexeu imenso comigo. Acho admirável as pessoas que são capazes de fazer isso. Quer dizer, já estão mortos de qualquer forma, mas ainda assim, vivermos e termos a noção de que quando nos formos deste mundo parte de nós ainda vai andar por cá.... é no mínimo, difícil. Tenho pena de este livro não ter continuação... estou demasiadamente habituada a séries e quando é apenas um livro torna-se complicado metermos na cabeça o facto de que não vamos voltar a ter notícias sobre aquelas personagens. Quero mais!!!
Manias... :D
(Este exemplar foi gentilmente cedido pela Presença em troca de uma opinião sincera)

2 comentários:

  1. Bom deve ser muito bom mesmo ,vou ver se consigo ler ,obrigada pelas tuas opiniões são sempre muito valiosas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu adorei... é um livro tocante e embora seja difícil acontecer algumas coisas na vida real, os dadores de orgãos e as pessoas que são salvas por causa desses dadores são muito reais.

      Obrigada pelas tuas palavras! :D

      Beijinhos

      Eliminar

O seu comentário é valioso!
Obrigada pela visita e volte sempre!