12/10/2018

Opinião | Oníria | Joana Santos Silva | Divulgação




"Oníria" são pedaços de uma vida, aconchegada entre o passado e o presente, entre o sono e o sonho. Inquietações que nos apanham de olhos ainda cerrados, desligadas da realidade apenas na medida certa.

Esta é uma obra de sobressaltos que podiam ser os nossos, povoada por desassossegos que são de todos. Feita de momentos que, ao romper da aurora, nos fazem seguir em frente
Como todos vocês sabem, ou se não sabem, já devem ter reparado é que livros de poesia não são bem o meu forte, mas... curiosa como sou e nunca digo que não a um pedido válido (e até fofo) de uma autora portuguesa que me contactou para o efeito, aventurei-me neste Oníria, livre de quaisquer expectativas e isso é o positivo de se estar completamente à deriva num género literário. 
Abri o livro e li o primeiro poema de mente e coração completamente abertos e assim continuei nos restantes poemas que enchem as páginas deste livro. De salientar que a capa é simplesmente maravilhosa.
Não sei grande coisa sobre as regras da poesia (este era um ponto que na disciplina de Português entrava a 100 e saía a 300, tenho de admitir). No entanto, a forma como a Joana coloca os seus sentimentos em verso e de uma forma tão sincera e simples, não nos deixa dúvidas nenhumas de que os poemas escritos no livro reflectem muito da vida da autora e pelo que ela já passou em ainda poucos anos de vida (comparados com os meus, cof* cof*). A meu ver e no meu singelo entendimento, a Joana transcreveu para o papel os seus sentimentos mais puros e honestos da maneira que mais achou que seria a melhor para serem lidos, entendidos e absorvidos. 
Não entendendo praticamente nada de poesia, acho que este é um pequeno tesourinho que deve ser lido e relido várias vezes, porque, se virmos bem, há poemas que podiam muito bem ser os nossos. Quando perdemos alguém que nos é querido, um familiar, um amor. Quando somos obrigados a mover as nossas raízes para um sítio onde vamos poder viver melhor mas com o coração cheio de saudades e de dor pelo que deixamos para trás. A emoção das descobertas. Tudo isto pode acontecer com qualquer um de nós, certo? 
Não deixem de ler estes poemas escritos de forma simples mas cheios de emoções e de experiências.

Obrigada à minha querida Joana Santos Silva por me ter enviado o seu tesourinho e pela dedicatória! Desculpa ter levado tanto tempo a dar-lhe o devido valor e atenção!

Sem comentários:

Publicar um comentário

O seu comentário é valioso!
Obrigada pela visita e volte sempre!