02/07/2015

Opinião - "Cinzas da Meia Noite" de Lara Adrian

Uma mulher impelida pelo sangue. Um homem sedento de vingança. Um lugar onde convergem a escuridão e o desejo…
Quando cai a noite, Claire Roth foge de casa, impelida por uma feroz ameaça que parece ter saído do próprio inferno. Então, de entre as chamas e as cinzas, aparece um guerreiro vampiro. Ele é Andreas Reichen, o seu antigo amante, agora um estranho consumido pela vingança. Apanhada no fogo cruzado, Claire não pode escapar da sua fúria selvagem, nem da fome que a arrasta para o seu mundo de eterna escuridão e infinito prazer.
Nada impedirá Andreas de destruir o vampiro responsável pelo massacre dos seus irmãos de Raça… mesmo que isso signifique utilizar a ex-amante como isco na sua missão mortífera. Ligada pelo sangue ao seu perigoso adversário, Claire pode conduzir Andreas até ao inimigo que ele procura, mas é um caminho repleto de perigos… e de profundos e inesperados prazeres. Pois Claire é a única mulher que Andreas não deve desejar, e a única que amou. Inicia-se assim uma perigosa sedução que dilui a linha que separa presa e predador e aviva as chamas de uma ardente paixão que pode consumir tudo no seu caminho

Depois de ter acabado o "O Véu da Meia Noite" estava ansiosa por começar a ler o capítulo destinado ao Andreas. Não estava enganada na minha ansiedade. Mais uma vez não temos grandes momentos dos Guerreiros da Ordem todos juntos, mas a visão que temos do poder de Andreas ofusca tudo o resto.
Depois de ter sido brutalmente atraiçoado pela sua actual namorada humana que vitimou toda a sua família de sangue, no seu Refúgio em Berlim, Andreas só pensa em vingança. É essa vingança que faz com que o seu poder explosivo e demolidor se torne perigoso e incontrolável. No entanto, ele não sonha nem pensa que no meio desta vingança vai cruzar-se com a sua antiga grande paixão: Claire. Por ironia do destino, Companheira de Raça do vampiro que lhe destruiu os seus irmãos de sangue. Claire por sua vez, não é feliz apesar de ter feito a sua escolha trinta anos atrás quando Andreas desapareceu de repente da sua vida. Sempre o amou, mas a dor e a humilhação que sentiu pelo abandono fez com que se entregasse a um vampiro vil e maquiavélico que não olha a meios para chegar aos seus objectivos. O mesmo que serve a Dragos, na perseguição de conquistar tanto o mundo dos vampiros como o dos humanos.
Tenho de ser sincera e dizer que até agora e para além de Lucan, Andreas é um dos meus preferidos. É um Ser cheio de força, cheio de paixão e cheio de uma honestidade desconcertante. Nunca revelou a Claire o motivo pelo qual a abandonou três décadas atrás e sofreu sozinho com a dor da perda da única mulher que sempre amou.
É esta vingança que ele agora precisa de levar a cabo, que o aproxima novamente de Claire. Quis o destino que eles se voltassem a encontrar e que no meio de tanta dor, desilusão, perda e sofrimento o amor brotasse do fundo das cinzas que o fogo de Andreas deixava à sua passagem.
Cada capítulo desta saga é um revelar de novas personagens, novos dons, novas emoções! Apesar de achar a Claire um pouco mais fraca do que as outras, gostei dela e de como ela soube lidar com o regresso de Andreas à sua vida e o facto de ele ser agora um homem amargo pela dor da perda dos que mais amava. Conseguiu resgatá-lo do fundo da amargura onde estava submerso e mostrou-lhe que o amor consegue tudo.

Sem comentários:

Publicar um comentário

O seu comentário é valioso!
Obrigada pela visita e volte sempre!