22/07/2015

Opinião "Amor Cruel" de Colleen Hoover

Tate é enfermeira e muda-se para São Francisco, para casa do irmão Corbin, para estudar e trabalhar. Miles é piloto-aviador e mora no mesmo prédio de Corbin. Depois de se conhecerem de forma atribulada, Tate e Miles acabam por se aproximar e dar início a uma relação exclusivamente física. 
Para que esta relação exista, Miles impõe a Tate duas regras:
«Não faças perguntas sobre o meu passado. Não esperes um futuro.»

Tate aceita o desafio de manter uma relação distante, sem nenhum compromisso, nem sequer o da amizade. A relação alimenta-se assim da atração mútua entre os dois.

Miles nunca fala de si nem do seu passado, e comporta-se perante Tate de acordo com as regras que ele definiu. Será Miles capaz de desvendar o que se esconde por detrás desta necessidade tão grande de se distanciar emocionalmente dos outros?

E poderá algo tão cruel transformar-se numa relação bonita e duradoura?

*Pode Conter Spoilers*
 
Sabem aquele tipo de personagens que entram na nossa vida e que nos dão a volta ao cérebro? Pois... se não sabem, então têm de conhecer a Tate, o Miles, o Corbin e até o Ian teve o seu lugar como personagem adorável.
De quem estou a falar? Esta deve ser a vossa pergunta. Bem, estou a falar das personagens deste Amor Cruel
Tate é apenas e tão só a irmã do piloto de aviões chamado Corbin. Tem 23 anos e está a estudar enfermagem. No processo de se mudar para a casa do irmão, conhece o estranho e atormentado Miles, também ele piloto. Com aqueles expressivos (nem sempre) olhos azuis e personalidade forte e conturbada que aos poucos a vão conquistando e fazendo com que não consiga pensar em mais nada. 
Ao longo das páginas deliciosamente escritas por Colleen Hoover, vamos tendo acesso ao passado de Miles. E que passado! Não creio que sejam todos os adolescentes que passam por uma experiência tão forte e intensa como ele passou que acabam por aceitar ser um jovem normal. É óbvio que se tornará alguém amargo, soturno e solitário. Embora ele tivesse amigos, entre eles Corbin e Ian (amigo de infância), ele continuava a ser alguém que fugia das relações. Passou por um trauma enorme há anos atrás e isso ninguém poderia apagar. E nem ele queria que fosse apagado, fosse por quem fosse. É aqui que aparece a nossa doce e determinada Tate. No seu íntimo ela sabe que ele sofre e a proposta que surge de ambos terem apenas aquilo que querem (sexo avassalador e do outro mundo) acaba por ser um tiro na culatra. Aquilo que seria apenas casual e prazeroso, acaba por tornar-se numa "coisa" complicada e dolorosa para ambos. Quem disse que apenas sexo é simples? A determinada altura haverá alguém que sairá magoado e a certa altura haverá alguém que vai ser aquele que magoa por estar completamente destruído psicológica e sentimentalmente. Será Tate quem o conseguirá resgatar daquele marasmo emocional a que ele se condenou. Será Miles quem mostrará que é possível sofrer-se de uma maneira atroz e mesmo passando por anos e anos de solidão e sofrimento é possível dar-se a volta por cima.... se tivermos quem nos ame pelo passado que carregamos, se tivermos quem nos apoie incondicionalmente e sem olhar a meios.
Tate e Miles são um exemplo de como o amor e o tempo, a compreensão e a amizade, o carinho e até mesmo o sofrimento são as armas indicadas para ultrapassarmos as mágoas que por vezes a vida nos inflige.
Para terminar: ADORO-OS! São queridos, são ternurentos, são de nos levar às lágrimas, seja por humor ou por dor. Mais uma vez Colleen Hoover trouxe-nos uma história de derreter o coração de qualquer um. Uma lição de vida e um casal fantástico que merece tudo de bom que a vida ainda possa ter. 
(Este exemplar foi gentilmente cedido pela TopSeller em troca de uma opinião sincera)

Sem comentários:

Publicar um comentário

O seu comentário é valioso!
Obrigada pela visita e volte sempre!