29/06/2016

Opinião | A Prometida do Capitão | Tessa Dare

Maddie é bonita e talentosa, pelo que todos esperam que ela se case em breve. Mas Maddie é muito tímida em relação aos homens, além de ter um medo terrível de espaços públicos e multidões.
Para se livrar de ter de ir a festas e ser cortejada, ela inventa um noivo imaginário: um capitão escocês de nome MacKenzie, muito apaixonado e dedicado, a quem escreve cartas onde revela os seus mais íntimos desejos e anseios. Aproveitando as prolongadas ausências do capitão, que vive convenientemente longe por causa da guerra, Maddie vai conseguindo escapar à pressão de se apresentar à sociedade.
Anos depois, porém, o inimaginável acontece: o capitão, produto da sua imaginação, aparece-lhe em carne e osso. Este capitão Logan MacKenzie é um soldado atraente, mas rude e selvagem. E o pior de tudo é que tem na sua posse as cartas de Maddie, aquelas que ela escreveu ao seu noivo fictício, e que contêm segredos inconfessáveis.
Agora, o capitão pretende fazê-la cumprir todas as promessas que ela lhe fez e que nunca esperou ter de concretizar


Este livro é absolutamente *delicioso*. 
Adorei a forma como a autora transformou uma jovem tímida e com traumas em relação a estar rodeada por multidões, numa jovem cheia de sentimentos intensos e ousados.
Maddie, ainda na adolescência, cria o seu Capitão MacKenzie. Um escocês que conheceu na praia em Brigthon, que se apaixonou loucamente por ela e que partiu para a guerra para lutar por Inglaterra, não sem antes lhe prometer que voltaria para casar-se com ela. Ora, seria de esperar que a família de Maddie aceitasse a decisão dela de esperar pelo seu Capitão corajoso, quanto mais não fosse para acabarem de vez com a questão das temporadas de apresentação aos jovens da sociedade. Durante anos, Maddie correspondeu-se com o seu amado, ou assim fazia parecer. Enviava as cartas, mas para quem? Quem, de facto as recebia? Na cabeça inocente de Maddie, as cartas caíam em "saco roto" e nunca imaginou que as suas cartas (algumas ousadas e demasiadamente descritivas) fossem, de facto, recebidas por alguém, muito menos por alguém com o mesmo nome do seu pretendente imaginário.
Cartas contendo "Meu caro imaginário Capitão MacKenzie, não és real nem nunca o serás. Eu, por outro lado, sou uma verdadeira e eterna tola. Deixo-te este desenho de um caracol." levaram-me às lágrimas de tanto rir. Maddie tinha tiradas destas, tão boas, mas tão boas que era impossível para mim não as ler várias vezes.
Ora, quando o próprio Capitão MacKenzie, lhe aparece à porta, anos depois, grande, forte e diabolicamente atraente, Maddie simplesmente não quer acreditar, nem muito menos aceitar as exigências dele em casar-se com ela e apossar-se de todo o seu património. Tendo em conta que tanto ele como ela são duas criaturas extremamente teimosas e intensas, era mesmo de se esperar que eles colidissem como duas pedras uma na outra.
Ora, com o passar dos dias e com a convivência entre eles, algumas coisas mudam entre eles e cada um, à sua maneira encontra uma forma de ultrapassar traumas e medos. 
Adorei a forma como, apesar de sabermos que as personagens principais são Maddie e Logan, personagens como os companheiros de Logan que precisam dele e o respeitam acima de tudo, conseguem ter o seu espaço na história. Conseguem aparecer como personagens activas em muitos capítulos e até o casal de Lagostas de estimação, sim... leram bem! A nossa Maddie tinha um casal de lagostas como animais de estimação e é com essas lagostas que ela vai protagonizar as cenas mais caricatas que me fizeram ir às lágrimas.
Mais uma série que termina e que me vai deixar saudades, pois adoro a forma como Tessa Dare escreve e cria personagens tão queridas, intensas e bem humoradas.

Sem comentários:

Publicar um comentário

O seu comentário é valioso!
Obrigada pela visita e volte sempre!