27/04/2016

Opinião | Surpreende-me | Megan Maxwell

A autora resolveu escrever uma sequela da série «Pede-me o Que Quiseres», pegando em duas personagens secundárias, mas importantes na trilogia para dar vida a mais uma história de amor escaldante e de sexo tórrido! Björn é um atraente advogado a quem a vida sempre sorriu. É um homem ardente, alérgico ao compromisso e agrada-lhe desfrutar da companhia feminina nos seus jogos sexuais. Melanie é uma mulher de acção. Como piloto do exército americano está acostumada a levar a vida ao limite, no entanto, a sua principal missão é a de lutar como mãe solteira pelo bem-estar da filha.Quando o destino os põe frente a frente, a tensão entre eles torna-se evidente. O que no começo foi um encontro hostil, pouco a pouco irá converter-se Numa atracção irresistível. Conseguirão estes dois titãs entender-se?

Tenho de admitir que não li a trilogia que lançou esta autora tão aclamada no mundo da literatura erótica. Sei que todas as personagens principais deste livro já são conhecidas dos leitores, justamente, por causa da trilogia "Pede-me o que quiseres". Se calhar também por não conhecer as personagens não me consegui identificar com esta história, de todo.
Para começar, não senti qualquer empatia com Melanie, a personagem principal que faz par com Björn. Para mim é extremamente importante quando as personagem conseguem criar uma espécie de conexão comigo e isso não aconteceu. Achei-a demasiadamente fútil, convencida e com uma personalidade irritante e infantil. Uma mulher como deve ser, sabe conjugar o facto de ser sexualmente activa, com o facto de ser mãe. A meu ver, Melanie falha nesse campo quando coloco as suas prioridades sexuais (não amorosas) à frente da filha. Só quando algo mais preocupante acontece à filha é que ela coloca um pouco os pés no chão e toma consciência da porcaria que anda a fazer. 
Quanto a Björn, também não lhe fica muito atrás. No entanto, ele não tem qualquer tipo de responsabilidades. Não tem filhos, não tem laços afectivos. Está no mundo dos clubes sexuais porque quer e porque pode. É um homem atraente e cheio de carisma. Mas..... também não deixa de ser um homem um pouco oco e infantil, tal como Melanie.
Em relação às restantes personagens, não me posso pronunciar muito porque não li os livros anteriores.
A única personagem que gostei foi da filha fofinha da Mel. É expansiva e inteligente, apesar de ainda ser tão pequenina. Consegue derreter os corações mais empedernidos e coloca sempre uma dose de bom humor e boa disposição no ambiente.
Não gostei de todo de alguns termos completamente inadequados ao contexto. "Mórbido", "morbidez", "lindinho", "lindinha", "tótó", "IronWoman"... é tipo... muito mau. Não sei se foi uma má tradução, ou se simplesmente a autora quis mesmo usar estes termos tão, mas tão maus! Uma mulher madura e um homem igualmente adulto e "rodado" a implicarem um com outro com termos tão infantis e com tanta falta de chá.... Sinceramente.... Esta história tinha tanto para nos oferecer e no entanto, fiquei mesmo decepcionada porque esperava muito mais de uma autora de quem toda a gente fala(va).
Gostava mesmo de ter gostado deste livro, mas para mim foi penoso e só nas últimas folhas é que tirei algum prazer da leitura.
De qualquer forma, agradeço a cedência do exemplar para leitura e publicação de opinião aqui no blogue. 

Sem comentários:

Publicar um comentário

O seu comentário é valioso!
Obrigada pela visita e volte sempre!