19/06/2014

Opinião - "Pecado" de Sylvia Day

Numa noite quente de verão, a apenas algumas horas do seu casamento, a discreta Lady Jessica Sheffield testemunhou uma cena da qual nunca irá recuperar. Vê o jovem Alistair Caufield numa cena ferozmente íntima com uma mulher muito mais velha. Chocada, mas estranhamente excitada, ela manteve silêncio sobre o que viu, e caminhou até ao altar como esperado. Mas, ao longo de anos de um casamento sereno e normal, a imagem de Caulfield continuou na sua imaginação, alimentando sonhos muito ilícitos...

Alistair fugiu da tentação da debutante recatada com o fogo da paixão nos olhos para as Índias Ocidentais. Enquanto comerciante bem-sucedido,tem pouco em comum com o jovem libertino que ela conhecia. Mas quando, sete anos depois, a recém-viúva Jessica sobe a bordo do seu navio para uma viagem até à Jamaica, os sete anos de prazeres negados são mantidos em xeque apenas por algumas camadas de seda… e pela certeza de que renderem-se irá consumir os dois...

Bestseller Internacional
Bestseller New York Times
Bestseller #1 Sunday Times

«Vários tons mais escuros e uma centena de graus mais quente do
que qualquer coisa que já leu antes.»
Reveal

A intensa ligação de Jessica e Alistair dentro e fora do quarto faz-nos acreditar no poder do amor enquanto eles ignoram repetidamente a sociedade e as suas convenções. Day criou um herói imperfeito, mas honrado, uma heroína com um passado tortuoso e a força para enfrentá-lo, e fez de cada um uma pessoa completa, que ainda é mais forte com o apoio da outra.»
ShelfAwareness

«Day cria um romance de ritmo rápido, quente e sexy com personagens maravilhosos e atraentes histórias secundárias.»
RT Book Reviews


Graças ao apoio da Quinta Essência tive o prazer de ler esta história *deliciosa*. E quando digo deliciosa, digo-o em todos os aspectos. Adorei as personagens, as acções, todo o passado que envolve as personagens principais. Jessica é uma Lady e é-o em todo o sentido da palavra. Nunca perde a pose e nunca perde a calma seja em que situação for. Está prometida a Benedict Tarley. Um homem bom e generoso que a ama e a respeita. No entanto, é o jovem Alistair Caufield que lhe povoa os sonhos desde a noite em que o viu com uma mulher muito mais velha, em situações constrangedoras. Jess guarda o episodio na memória e casa-se com Tarley. Sete anos depois, Jess vê-se viúva e a bordo de um dos melhores navios que já vira. Destino: Jamaica, onde o seu falecido marido lhe deixou uma plantação de Cana de Açúcar que ela pretende vender ou administrar. No entanto, na viagem é acompanhada por Alistair, dono do barco. Será a bordo do Acheron que Jess irá render-se ao desejo ardente de Alistair e será a bordo do mesmo navio que ambos serão protagonistas das mais tórridas sessões de sexo que já tive a oportunidade de ler. O que mais me atraiu nas cenas eróticas, foi exactamente isso: serem eróticas, sem sequer roçar o pornográfico. Cenas possíveis na vida real e nada de posições mirabolantes, etc, etc. Fiquei agradavelmente surpreendida com esse toque elegante de erotismo. Para além do erotismo, temos o amor. Um amor que os juntou depois de sete anos sem se verem e uma ternura imensa entre os dois. A aceitação de Jess a um passado menos limpo de Alistair e a compreensão de Alistair face aos traumas de infância de Jess. Um amor puro e cheio de momentos de respeito e de carinho. Uma devoção difícil de encontrar entre um homem e uma mulher.
Aguardo ansiosamente pelo segundo volume, que tenho a esperança que seja sobre Hester (irmã de Jess) e Michael (melhor amigo de Alistair e irmão do falecido marido de Jess).

(4,5*****)

Sem comentários:

Publicar um comentário

O seu comentário é valioso!
Obrigada pela visita e volte sempre!