07/07/2016

Opinião | Confia em Mim | Jennifer Armentrout

Cameron Hamilton está habituado a ter o que quer, especialmente no que toca às mulheres. No entanto, quando Avery Morgansten irrompe na sua vida, finalmente conhece alguém que consegue resistir aos seus encantos. A distância que a rapariga impõe entre os dois constitui um desafio perturbador e excitante, que o intempestivo jovem não tarda a abraçar. Só que Avery tem demasiados segredos, dilemas sombrios que a impedem de admitir os seus verdadeiros sentimentos por Cam. 
Será que a persistência, e algumas bolachas caseiras deliciosas, vão ajudar Cameron a quebrar todas as barreiras e ganhar a confiança de Avery? Ou será que os segredos que ambos guardam os afastarão em definitivo, deitando a perder a primeira e derradeira oportunidade de um tipo de amor que dura para sempre?

Tenho de admitir que adorei rever Cam e Avery, um dos casais que mais gostei de conhecer até hoje. São queridos, irreverentes, com os segredos que todos nós, que já lemos o primeiro livro, conhecíamos. O que não tínhamos conhecimento era da forma como Cam tinha lidado com todos os traumas, todos os problemas e todos os segredos que faziam parte, tanto da vida dele como de Avery.
Mais uma vez a autora conseguiu dar intensidade e veracidade a este casal de uma maneira leve, animada e, em muitas vezes, intensa. 
Este Cam a que temos acesso é absolutamente espantoso. É atrevido, sexy e com uma inteligência e humor mordazes que em muitas alturas me levaram às gargalhadas. Passa a ideia de ser um playboy convencido que consegue todas as raparigas que quiser, e provavelmente, ele até consegue. Apesar de tudo o que lhe aconteceu no passado e das consequências que carrega devido aos seus actos, consegue ser divertido e carismático. Já tinha gostado imenso dele e da sua "teimosia" no primeiro livro e esta versão do Cam apenas serviu para vincar essa empatia.
Avery, a mesma rapariga tímida e misteriosa que, aos poucos e poucos, vai-se encontrando enredada na personalidade de Cam, ao ponto de sentir a falta da sua persistente teimosia. Em abono da verdade, também não era muito difícil, uma vez que também ela precisava de exorcizar os seus demónios do passado e nada melhor do que ter um Cameron a seu lado para a apoiar.
Adorei vê-los juntos outra vez. Ter a noção de como Cam sofreu pelos segredos de Avery, a forma carinhosa como pensava nela, o que sentia sempre que a via, sempre que lhe tocava, o que passou para atravessar todas as barreiras que ela lhe foi sempre colocando no caminho. Não era tão bom que os rapazes fossem assim em alguma altura das suas vidas? Tipo, quando encontrassem aquela pessoa especial, não se armassem em fortes e estragassem tudo? Não estou a dizer que Cameron fosse um santo, mas assim que se sentiu abalroado pela sua Docinho de Morango nunca mais foi o mesmo e o mais engraçado é que nunca escondeu o que queria e o quanto tinha mudado.
Algumas pessoas não percebem como podemos ler a mesma história duas vezes, ainda que sejam duas versões diferentes, porque já sabemos como vai acabar, mas acho sempre que traz muitas coisas novas, emoções diferentes. Não podemos sentir pela versão do Cameron o mesmo que sentimos quando tivemos acesso à versão da Avery. É como ser absolutamente imprescindível termos acesso a todos os pormenores e aos dois lados de cada história.
Não fiquei, de todo, decepcionada com este livro, muito pelo contrário. Levou-me a ter grandes expectativas para o próximo, uma vez que através de Cameron ficamos a saber que também Jase, um dos seus melhores amigos, também tem problemas que precisam ser resolvidos.
Aguardo ansiosa pelo seguinte livro desta série recheada de personagens cheios de segredos para nos desvendar.
(Este exemplar foi gentilmente cedido pela editora 5 Sentidos em troca de uma opinião sincera)

Sem comentários:

Publicar um comentário

O seu comentário é valioso!
Obrigada pela visita e volte sempre!