19/07/2019

Opinião | A Rapariga Sem Nome | Lesley Wolfe | Alma dos Livros

Os olhos azuis vidrados, o belo rosto, inerte, coberto de cintilantes grãos de areia. Os lábios entreabertos, como que para libertar um último suspiro. Quem é a bela rapariga encontrada ao amanhecer numa praia deserta? Qual é o seu segredo?
A agente especial Tess Winnett, do FBI, procura incessantemente respostas. A cada passo, a cada nova descoberta, desvenda factos perturbadores que conduzem à mesma conclusão: aquela não foi a única vítima. O assassino que procuram já matou antes.

Escondendo também um terrível segredo, a agente Tess Winnett enfrenta os seus receios mais profundos, numa emocionante corrida para apanhar o assassino, que se prepara para acabar com outra vida. Descobri-lo-á a tempo? Será capaz de o deter? A que preço?

AS REGRAS DO JOGO MUDARAM. 
TAL COMO A DEFINIÇÃO DE SERIAL KILLER. 
TODOS DESEJAMOS TER ALGUÉM. MAS ESTAREMOS DISPOSTOS A MORRER POR ISSO?

A agente especial Tess Winnett é apaixonada, ousada, forte e temperamental. Não hesita em arriscar a vida, numa busca incessante por toda a verdade e por um seria killer cruel que anda a tirar vidas sem piedade. Inteligente, desenvolta e teimosa, Tess levará os leitores numa memorável e aterradora investigação neste empolgante e apaixonante thriller.

Este livro apanhou-me um bocado de surpresa. Já tinha uma certa ideia de que seria um livro cheio de surpresas, mas, não fazia ideia de que ia gostar tanto, até porque, apesar de já gostar e identificar-me com este género literário, ainda tenho um longo caminho a percorrer até ser uma expert. 
Ao ler outras opiniões deste livro, o que mais notei foi que esta autora é muito semelhante ao muito conhecido Robert Bryndza. No entanto, e apesar de ter alguns dos livros desse autor, ainda não consegui ler nenhum, por isso, para além de ter ficado muito curiosa em relação a ele, também mal posso esperar para começar a ler os livros dele, também publicados pela Alma dos Livros.
Este é o primeiro volume da série Agente Especial Tess Winnett, a qual espero acompanhar com a assiduidade e atenção que ela merece. E nesta série, vamos ter o prazer de acompanhar a fantástica, ainda que complicada, agente especial do FBI Tess Winnet.
Neste primeiro livro, temos uma Tess retraída, que guarda um grande segredo do seu passado e que tem muitas dificuldades em estar e trabalhar com outras pessoas desde que perdeu o seu companheiro de muitos anos. É uma mulher solitária, com mau feitio e que está sempre em "guerra" com os demais e com quem se atreva a cruzar o seu caminho. Não foi, de todo, a melhor primeira impressão que tive desta personagem. No entanto, é dona de uma astúcia e inteligência apuradíssimas que lhe vão concedendo alguns "perdões" excepcionais por parte do seu chefe, que diga-se de passagem teve de recorrer ao que se chama "tough love" (amor duro) com o intuito de a colocar no caminho certo e deixar de ser aquela pessoa tão presa na sua solidão e individualismo. Para Tess, depois que o seu companheiro de equipa e melhor amigo morreu, trabalho em equipa era algo inadmissível para ela, pelo que ou era da maneira dela ou de nenhuma outra. Valeu-lhe alguns avisos e ameaças, mais pudera, com um feitio desses, nem um santo aguentava, quanto mais um chefe do FBI.
Este primeiro caso é aquele que fará com que o segredo de Tess seja desvendado e, ao longo do livro e ao termos acesso aos pensamentos e sentimentos de Tess, vamos acabando por perceber que ela, afinal, não é tão irrascível e dura como aparenta ser. Apesar de termos de ter foco no caso que terá de ser resolvido, é em Tess que todas as atenções sempre acabam por cair muito por causa das mudanças evidentes que vamos notando no seu carácter.
Uma jovem foi encontrada morta, espancada, violada, torturada e nua numa praia, numa posição um tanto ou quanto estranha e foram dois jovens namorados que a encontraram quando se tinham escapado de casa para verem juntos o nascer do sol.
Com a forçada ajuda de dois agentes da policia, que mais tarde se tornarão em dois amigos, Tess vai desvendando pouco a pouco a trama de um assassino inteligente e manhoso. Um assassino que se esconde nas sombras e por debaixo de inúmeros disfarces desde há demasiado tempo. No entanto, Tess provavelmente terá de ir contra tudo e contra todos para levar a sua investigação adiante e descobrir quem era aquele assassino que até à data andava a fugir-lhe por entre os dedos. Mas, indo contra as ordens superiores, será que ela vai conseguir resolver o caso e fazê-lo à sua maneira? Podia dizer-vos, mas vão ter de ler para saber porque sabe muito melhor.
Com uma escrita simples e directa, Lesley Wolfe chega-nos com uma promessa de virmos a ter muitos mais bons momentos com a Agente Tess. Não houve pontas soltas, não conseguimos vislumbrar nenhum pormenor que não bata certo tanto com o passado como com o presente e todas as personagens são dignas de atenção, mesmo as que não são do bem. O próprio assassino tem de ser admirado porque era, de facto, muito ardiloso e inteligente. Desde o primeiro crime que cometeu, até ao presente, foi melhorando os seus conhecimentos, foi evoluindo a nível mental, e, afinal de contas, para além de ser alguém com uma grande inteligência, era também uma pessoa traumatizada pela infância e, de onde não esperamos é que as revelações aparecem.
Um livro cheio de voltas e reviravoltas que vai fazer as delícias de quem gosta deste género literário.

2 comentários:

  1. Olá Vera!
    Também li "A Rapariga sem rosto" na semana passada e gostei muito.
    Contudo, alguns aspetos desiludiram-me um pouco.
    Vou escrever a minha opinião ainda esta semana no blogue.
    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá 👋
      A Rapariga Sem rosto ou sem nome? ;)
      Eu gostei principalmente pela volta que a autora consegue dar com a Tess e o passado dela.

      Beijinhos 😘

      Eliminar

O seu comentário é valioso!
Obrigada pela visita e volte sempre!