12/07/2019

Opinião | Muito Mais do Que Amigos | Erin Lyon | TopSeller

Num mundo onde não há casamentos, apenas contratos de sete anos, os casais não dão o nó: assinam o papel.

Não existem divórcios, mas sim quebras contratuais e, por vezes, a relação simplesmente expira! Depois de ter batido no fundo do poço, Kate deu a volta por cima e conseguiu o que queria: tornar-se advogada. Bom, perita em relações falhadas... Mas pelo menos está a realizar o seu sonho. E enquanto lida com as vidas caóticas dos seus clientes - desde disputas por porquinhos-da-índia a infidelidades conjugais -, a sua carreira dá um salto. E se o trabalho de Kate é uma festa animada, a sua vida amorosa é uma montanha-russa!

Após uma pacífica relação amorosa de sete anos, Kate encontra-se no centro de um furacão de pretendentes. As suas opções são: Jonathan, o ex-companheiro arrependido, que quer reatar a relação; Dave, o apresentador de televisão com fama de playboy, cujas intenções são duvidosas; e, por fim, Adam, com quem tem uma química inexplicável, mas zero hipóteses, agora que ele a remeteu para a friend zone.

No final, Kate tem de decidir e perceber o que realmente a faz feliz. Uma escolha muito fácil, certo?

Um romance que promete riso e um leque de homens estonteantes, que a deixarão tão indecisa quanto Kate!
(Pode Conter Spoilers...)
Eis que chega o segundo volume desta série super divertida e que fará as alegrias de muitos leitores. Também sei que havia muitas pessoas ansiosas que este livro saísse depois de terem lido o primeiro, onde nos é apresentada Kate e toda a sua trupe de pretendentes e amigos.
Neste livro embora tenhamos um grande foco nos casos que ela ia defender a tribunal, de clientes malucas, tenho já de avisar, temos também a novidade de conhecermos um pouco melhor a mãe de Adam. Uma senhora muito elegante e amorosa que tudo faz ao seu alcance para que o filho um dia seja feliz ao lado de alguém. Era óbvio que, sendo Kate sua inquilina, ela ia tentar fazer com que os destinos dos dois se cruzassem de uma forma um pouco mais intensa do que apenas uma simples amizade. Estava mesmo a torcer para que ela conseguisse juntar os dois nem que fosse no final de tudo.
Embora este livro esteja mais focado na carreira de Kate e na sua amizade colorida com Adam, também temos um avançar na relação dela com Jonathan, o seu ex., e com Dave, o apresentador de televisão bem parecido e teimoso que insiste que a quer numa relação permanente e com compromisso embora ela não sinta por ele mais do que atracção e amizade. A certa altura, ele vai ter de perceber que não lugar para ele no coração dela que já está demasiado ocupado tanto com Jonathan como com Adam que insiste em ser apenas amigo dela.
Para mim e para muitos leitores a escolha é óbvia, embora perceba bem a situação dela. Passou oito anos da sua vida com um homem que era o amor da vida dela e que continua a ter um lugar muito grande no coração dela. Um homem que ela conhecia como as palmas das mãos e com quem partilhou tudo o que era. Por outro lado conhece Adam que aos poucos se vai intrometendo tanto na sua cabeça como no seu coração tornando-se claro que dele não poderia ter mais do que uma relação breve e tórrida em vez de um contrato assinado.
Este segundo livro serviu para conhecermos melhor as personagens. Gostei de ver que tanto a melhor amiga de Kate conseguiu o seu rumo à felicidade assim como a nova amiga Mags, que conheceu no trabalho e que a ajudava a ultrapassar todas as dificuldades que lá encontrava todos os dias. Era como se fosse o seu raio de sol particular, cheia de vida e de cor.
Também Adam ficou um pouco mais exposto aos nossos olhos, mostrando-se ser um homem demasiadamente receoso de uma relação duradoura porque não queria ser apenas mais um homem que assinava contrato e depois ia a tribunal matrimonial porque a segunda parte envolvida tinha quebrado todas as regras, fosse com traições ou por outro motivo qualquer. Tinha medo de sofrer e isso não é muito habitual nos homens. Nas mulheres sim, porque geralmente são sempre a parte que mais sofre. Mostrou-se também capaz de ser um bom amigo mesmo quando o seu coração pede e exige outra coisa. Um homem decente, apesar da fama que tem.
Apesar de ter lido algumas partes na diagonal, as do tribunal, por exemplo, porque não eram bem um aspecto relevante para o culminar da história, embora algumas fossem divertidas, gostei imenso de como a autora rematou as aventuras e desventuras amorosas e profissionais desta personagem tão divertida e ao mesmo tempo, tão atormentada pela vida e pelas suas circunstâncias.

Sem comentários:

Publicar um comentário

O seu comentário é valioso!
Obrigada pela visita e volte sempre!