08/02/2019

Opinião | Já Te Disse Que Me Fazes Falta? | Estelle Maskame | Editorial Presença

Uma última oportunidade para o amor. 
Passou um ano desde a última vez que Eden falou com Tyler. Ela continua muito magoada por ele ter partido abruptamente no verão passado, e esforçou-se por seguir em frente com a sua vida na universidade, em Chicago, e esquecer Tyler de vez. 

Quando começam as férias grandes, Eden regressa a Santa Monica… mas não é apenas ela quem decide voltar. Tendo sido deixada entregue a si própria depois da explosiva revelação e da desintegração da sua família, Eden não tem tempo para Tyler quando ele reaparece. Mas por onde andou Tyler? E terá ela desistido dele definitivamente, como quer pensar? Ou será que os dois voltarão a juntar-se, apesar da família e de todas as contrariedades? 

Neste surpreendente final da trilogia de Estelle Maskame, bestseller internacional, assistimos ao desfecho, muito esperado, da emocionante história de amor entre Eden e Tyler.

(Pode Conter Spoilers)
Bem... quem acompanhou esta trilogia de Eden e Tyler percebe o que quero dizer com "finalmente acabou, mas fico triste!".
Eden e Tyler já passaram por muita coisa, a maioria delas, separados. Tyler vem com uma bagagem demasiadamente pesada do seu passado e Eden é  uma jovem cujos  pais estão separados e esta é basicamente a sua maior desilusão na vida... até conhecer Tyler e apaixonar-se perdida e irremediavelmente por ele. Até aqui tudo bem, a não ser pelo facto de Tyler ser filho da esposa actual do pai de Eden,  o que faz deles meio-irmãos. Algo que me faz confusão é o facto de isso ser um problema tendo em conta que até há três anos atrás eles nem se conheciam. Quer dizer... são meio-irmãos mas apenas por laços familiares e não laços de sangue.
Desde que se conhecem, passaram três anos. O último ano nem se viram porque, após uma estadia de Eden na casa de Tyler em Nova Iorque no verão passado em que ambos assumem o seu amor (volume dois), regressam a casa e Tyler desaparece deixando Eden sozinha a suportar o peso do que ambos confessaram aos familiares directos. 
A meu ver, Eden precisava desta ausência de Tyler, e ele também. Estar-se com uma pessoa apenas porque ela serve de muleta de apoio não é uma boa política e era isso que Tyler não queria. Enquanto ele desaparece e tenta tomar controle da sua própria vida e emoções sozinho, Eden fica para trás e quando não está em Chicago a estudar, está ora em casa da mãe, ora em casa do pai, que não aceita nem perdoa aquilo que eles fizeram. O clima não podia ser pior e mais tenso e Eden já não aguenta nem  sequer ouvir falar em Tyler. Apesar de ainda pensar nele, a raiva e a decepção de ter sido deixada para trás um ano inteiro sem notícias e sem respostas faz com que o amor que sentia esmoreça. Até que Tyler regressa e com novidades surpreendentes principalmente para ela. Regressa um Tyler mais calmo, mais velho e mais convicto de que o tempo que esteve ausente só fez com ele melhorasse em todos os aspectos. Agora só resta convencer o resto das pessoas que desiludiu ao longo da vida, Eden incluída, de que está diferente do Tyler idiota, cínico e egoísta que era anos atrás.
Sinceramente, foi muito bom acompanhar o crescimento não só de Tyler e Eden, mas também dos amigos deles. Aqueles que,longe ou perto, acompanharam o drama de Eden e Tyler. Temos uma miúda mais crescida, mais madura e, no final de tudo, compreensiva. Alguns podem achá-la fraca por ter sequer pensado em perdoar quem a abandonou, mas ela apenas percebeu que, por vezes, a ausência é a maior prova de amor que se pode ter de quem amámos.
Adorei a transformação de Tyler. De um idiota chapado para um jovem empreendedor, calmo e amoroso. Nada de cenas dramáticas e desaparecimentos sem aviso. 
Acho que vão gostar da evolução das personagens e do rumo que elas tomaram. Vou ter saudades destas personagens que, tantas vezes, deixaram-me frustrada pela sua pouca experiência e imaturidade. Não podia ter acabado de melhor maneira!

Sem comentários:

Publicar um comentário

O seu comentário é valioso!
Obrigada pela visita e volte sempre!