24/10/2019

Opinião | As Piores Intenções | Série Maiden Lane | Elizabeth Hoyt | Quinta Essência


Famoso pelos seus desejos selvagem e sensuais, Lazarus Huntington, Lorde Caire, anda à procura de um assassino cruel em St. Giles, o bairro da lata mais famoso de Londres. A viúva Temperance Dews conhece St. Giles como a palma da mão - passou a maior parte da vida a cuidar dos seus habitantes no lar de órfãos que a sua família estabeleceu. Agora essa casa está em risco.
Caire faz uma oferta simples: em troca da ajuda de Temperance para navegar os becos perigosos de St. Giles, ele irá apresentá-la à alta sociedade de Londres para que ela possa encontrar um benfeitor para o lar. Mas Temperance pode não ser tão inocente como parece, e o que começa por ser um calculismo frio em breve se transforma numa paixão que nenhum deles pode controlar - e que pode muito bem destruir ambos.

Não tenho a certeza, mas acho que esta é a minha estreia com esta autora e devo dizer que estava com as minhas expectativas em alta, até porque adoro este género literário e seria muito difícil não gostar ou até mesmo detestar. No entanto, apesar de ter gostado deste primeiro volume da série Maiden Lane, não posso dizer que adorei. Estava à espera de algo mais. Mais chama, mais momentos daquela paixão que ligam os protagonistas por um fio emocional bem esticado e que promete quebrar a qualquer altura. 
Temperance e Lazarus. Tinham tudo para ser um casal explosivo, mas, tendo em conta as preferências dele (um bocado avançadas para a época em questão), achei-o sempre demasiado "morno". Era um homem interessante, com os seus gostos peculiares no que ao sexo feminino dizia respeito, inteligente e astuto. Queria à força toda descobrir quem tinha começado com aquela onda de mortes inexplicadas, sendo que uma das vitimas tinha sido uma das suas amantes. Temperance. O que hei-de dizer dela? Uma mulher trabalhadora e honesta que só queria arranjar forma de manter o seu orfanato aberto e funcional, sem que nada faltasse aos seus meninos. Atravessa-se na caminho de Lazarus por um acaso do destino e, quis esse mesmo destino, que Lazarus fosse uma resposta Às preces dela e vice-versa. Ela precisava urgentemente de apoio monetário para reerguer e manter a única casa que aqueles órfãos conheciam e ele, precisava dos conhecimentos dela para recolher informações e chegar ao culpado de todas as mortes.
Se um mais um são dois, então, Temperance e Lazarus, à sua maneira faziam um bom par e, apesar de achar que faltou sempre alguma chama e alguns momentos de fazer bater o coração mais rápido, acho que fazem um bom casal. Duas pessoas que aprenderam a lidar com as personalidades um do outro e que, aos poucos, foram descobrindo que afinal havia algo mais do que uma troca de interesses e de favores.
Embora não tenha adorado, não posso deixar de recomendar e de admitir que ainda dei algumas gargalhadas! 
Um livro que se lê sem qualquer dificuldade pois a escrita é fluída e divertida, Capítulos no tamanho "q.b." e isso ajuda imenso.
De qualquer forma, vou continuar a ler a série, à procura de casais explosivos ;)

Sem comentários:

Publicar um comentário

O seu comentário é valioso!
Obrigada pela visita e volte sempre!