27/09/2019

Opinião | O Silêncio das Águas | Brittainy C. Cherry | Presença

Momentos. A vida é uma sucessão de momentos. Alguns, profundamente dolorosos e cheios de mágoas do passado. Outros, cheios de esperança e promessas para o futuro. Tive muitos momentos na minha vida, momentos que me modificaram, que me desafiaram. Momentos que me assustaram e atormentaram. No entanto, os mais importantes - os momentos mais comoventes e arrebatadores - sempre o incluíram a ele. Eu tinha dez anos quando perdi a voz. Uma parte de mim foi -me roubada, e a única pessoa que conseguia ouvir verdadeiramente o meu silêncio era o Brooks Griffin. Ele era a luz dos meus dias escuros, a promessa do amanhã, até que a tragédia o encontrou. A tragédia que acabou por afogá-lo num mar de memórias. Esta é a história de um rapaz e de uma rapariga que se amavam um ao outro, mas não se amavam a si mesmos. 
Uma história de vida e de morte. De amor e de promessas quebradas.


Este foi o primeiro livro que li desta autora. Primeiro porque adorei a capa e segundo porque a sinopse captou a minha atenção. Geralmente não me deixo levar pelas capas, embora aprecie as que são bonitas e atractivas, no entanto, não consegui deixar de gostar desta, pela sua simplicidade e pela mensagem que transmitia. 
A história contada neste livro é qualquer coisa! Já sabia que ia gostar, até porque é um dos meus géneros preferidos, mas não sabia que quando o começasse não o ia largar até ter acabado e quando isso aconteceu (poucas horas depois de começar) fiquei triste. Não queria que tivesse acabado tão rápido.
Ora, neste Silêncio das Águas, o terceiro livro da Série Elementos, temos Maggie e Brooks. Conhecem-se desde pequenos e desde pequenos que há aquele entendimento mútuo imposto por uma miúda de personalidade forte e vincada, que sempre soube o que queria e o que ela mais queria e sabia com todo o seu coração era que Brooks ia ser seu para sempre.
Quis o destino que algo acontecesse de tão terrível para Maggie que lhe roubasse a voz. Algo que a deixou tão aterrorizada aos oito anos de idade que mais de uma década tinha passado e a voz não tinha voltado.
Gostava de poder contar-vos tudo o que aconteceu, mas, acho injusto estar a tirar-vos o prazer de mergulharem nesta história cheia de momentos decisivos, momentos assustadores, momentos de ternura, de amor e de entendimento, que simplesmente vos vai deixar de coração partido e lágrimas nos olhos. Se chorei? Chorei ... como uma Madalena arrependida, acreditem. Um livro cheio de tudo o que nós gostamos no nosso dia a dia. Música, livros, muitos livros. Livros que vão ser a ponte entre um e outro em várias alturas da vida. Acho que, se há casal que merece ficar junto esse casal é composto por Maggie e Brooks. Por tudo o que passaram ao longo dos anos, por tudo o que poderiam ter sido e não foram, por serem a metade um do outro, desde sempre. Tenho saudades deles, pois já li este livro há uns dois meses e agora que estou a recordar tudo o que li, deixa-me de coração apertadinho e com vontade de ler tudo de novo.
Não há como não gostar das personagens deste livro. Desde as principais até à menos importante. De todas as personagens que nos são apresentadas e sem falar de Maggie e Brooks, com certeza é o pai dela que mais me tocou. Pela paciência que sempre teve com a filha, pela sua tolerância em relação a tudo o que passava, pelo amor que sempre dedicou a Maggie, para que ela nunca se sentisse estranha ou desprotegida. Maggie não falava, Maggie não saía de casa. Basicamente, a vida e o mundo dela cingiam-se àquela casa e ao seu quarto repleto de momentos, livros e música. Repleto dela e de Brooks, o seu melhor amigo e companheiro de vida.
Não posso continuar a escrever, caso contrário, caio na estupidez de vos contar tudo, mas quero apenas garantir-vos de que não se vão arrepender de ler este livro. 
Bendita a hora em que o resolvi comprar! Foi um dos dois que comprei este ano, até à data, e não me arrependo nada. 
Gostava imenso que a série toda fosse publicada em Portugal. Ando já à caça dos outros livros, nem que seja em inglês! Marcha tudo!

Frase do livro que mais me marcou e que, com certeza terei presente em muitas ocasiões da vida:
"O mundo continua a girar, porque o teu coração continua a bater"

Sem comentários:

Publicar um comentário

O seu comentário é valioso!
Obrigada pela visita e volte sempre!