14/12/2018

Opinião | Com amor, Simon | Becky Albertalli | Porto Editora

Com nova capa e novo título, a apaixonante história de Simon que conquistou milhares de leitores com uma trama que trata com naturalidade e bom humor a afirmação e os dilemas de um adolescente gay.
Agora, a adaptação do romance chega às telas de cinema com Nick Robinson, de Jurassic World, no papel de Simon, e Katherine Langford, protagonista de 13 Reasons Why. 
Simon Spier tem dezasseis anos e é gay, mas não conversa sobre isso com ninguém. Ele não vê problemas em sua orientação sexual, mas rejeita a ideia de ter que ficar dando explicação para as pessoas - afinal, por que só os gays têm que se apresentar ao mundo? Enquanto troca e-mails com um garoto misterioso que se identifica como Blue, Simon vai ter que enfrentar, além de suas dúvidas e inseguranças, uma chantagem inesperada.
(Pode Conter Spoilers...) 
De facto, não sei como levei tanto tempo para começar a ler este livro, quando já toda a gente o tinha feito e adorado. Bem, antes tarde que nunca e, tenho de ser honesta e confessar que não estava, de todo, preparada para gostar deste livro como gostei. Aquela "coisa" de lermos maioritariamente sobre o romance entre um rapaz e uma rapariga e acharmos estranho as confissões e pensamentos de um adolescente gay que, com todo o direito que se lhe assiste, passa os dias a fantasiar com o seu mais que tudo e a trocar emails com o mesmo, sem saber quem ele é e vice-versa.
Para além de nos fazer ver que todos têm direito a amar e a serem amados, ou pelo menos, respeitados nas escolhas que fazem, este livro mostra-nos o poder da força de vontade e de um coração puro e bom. Simon não queria mal a ninguém. Apenas queria ter direito ao que todos os adolescentes têm, sem se sentir mal por isso ou constranger fosse quem fosse.
Aos poucos, a ideia de que Simon está apaixonado por um rapaz começa até a fazer sentido. De uma forma leve e liberal, a autora, como sempre, mostra-nos o mundo dos adolescentes, com todos os seus altos e baixos. Todos os desgostos, alegrias, decepções e conquistas. Qualquer coisa é digna de ser registada e relembrada e, aos dezasseis anos tudo tem uma proporção maior do que a que efectivamente tem. Os adolescentes são criaturas estranhas (loool) e, tendo sido já uma adolescente com as emoções à flor da pele (quem nunca se sentiu capaz de fazer o que fosse por algo?) compreendo todas as inquietações e expectativas de Simon. 
Gostei imenso das personagens e, principalmente dos pais de Simon. Divertidos e algo amalucados, mas que souberam criar os filhos e direccioná-los para o bem. Ensinaram-nos a ser bons miúdos e respeitadores do próximo. Sensíveis e fieis. Não são todos os pais que conseguem ser como eles e, mesmo assim, terem o respeito dos filhos. Claro que tinham falhas, como é óbvio, mas a forma como eles tratavam Simon e as irmãs era absolutamente fantástico. Gosto de pensar que sou um pouquinho como eles :p
Recomendo vivamente. Dá-nos uma perspectiva intensa e profunda da mente de um adolescente absolutamente normal, à excepção de que tem a perfeita noção e convicção de quem gosta, sem com isso, ser ofensivo ou amargurado. 
De facto, Simon tem um coração enorme :)

Sem comentários:

Publicar um comentário

O seu comentário é valioso!
Obrigada pela visita e volte sempre!