03/08/2015

Opinião "A Escola do Bem e do Mal" de Soman Chainani

"Os primeiros sequestros aconteceram 200 anos antes. Em alguns anos eram dois meninos levados, alguns anos duas meninas, às vezes, um de cada. Mas, se num primeiro momento as escolhas pareciam aleatórias, logo o padrão tornou-se claro. Um deles era sempre bonito e bom, a criança que todos os pais queriam como sua. O outro era solitário e estranho, um pária desde o nascimento. Um par oposto, arrancado de juventude e A Viagem de Chihiro".
Este ano, as melhores amigas Sofia e Agatha estão prestes a descobrir onde todas as crianças perdidas vão: a Escola do Bem e do Mal, onde meninos e meninas comuns são treinados para serem heróis de contos de fadas e vilões. Como a menina mais bonita Gavaldon, Sofia sempre sonhou em ser sequestrada para se levada para um mundo encantado. Com os seus vestidos cor de rosa, sapatinhos de vidro, e devoção a boas acções, ela sabe que vai conseguir ter as melhores notas na escola de pós-graduação para o Bem e ser uma princesa de contos de fadas. Por outro lado, temos Agatha, com seus vestidos disformes pretos, um mau gato de estimação, e que não gosta de quase toda a gente, parece um ajuste natural para a Escola para o Mal.
Mas, quando as duas meninas são arrastadas para a Floresta Interminável, elas encontram os seus destinos invertidos - Sofia é largada na Escola para o Mal, que tornam os seus alunos feios, aprendem Maldições da Morte, e têm Formação para a maldade, enquanto que  Agatha encontra-se na Escola para o Bem, onde reinam príncipes bonitos e belas donzelas todos eles encaminhados para aulas de princesa, Etiqueta e Comunicação animal .. Mas e se o erro é na verdade a primeira pista para descobrir quem Sofia e Agatha realmente são ...?
A Escola de do Bem e do Mal é uma jornada épica para um novo mundo deslumbrante, onde a única maneira de sair de um conto de fadas é viver através de um.

*Pode Conter Spoilers* 
Antes de ir ao conteúdo desde livro *delicioso* tenho mesmo de fazer referência à capa. Simplesmente ma.ra.vi.lho.sa! Adoro Hardcovers e esta é magnífica. Desde que lhe coloquei os olhos em cima fiquei completamente rendida! E a imagem?! Agatha e Sofia lado a lado, juntamente com os cisnes Branco e Negro, símbolos de cada escola? Lindo! Não podia deixar de falar neste aspecto que num livro é tão importante!
Agora, em relação à história escrita nas páginas deste livro... Estava à espera de algo muito infantil, tenho de admitir. Em vez disso, deparo-me com uma história que de certa forma segue os parâmetros de uma história de contos de fadas, mas de uma forma muito adulta e sempre com vista a uma lição a retirar de tudo o que acontece. Caso não saibam, eu adoro contos de fadas. Sempre gostei e ter lido este livro de 540 páginas em menos de dois dias é prova disso.
Nunca tinha lido nada de Soman Chainani, e fiquei muito surpreendida, pela positiva. Escreve de uma maneira que consegue prender o leitor até ao final. Os capítulos, apesar de serem maiores do que aqueles a que estou mais habituada a ler, são recheados de descrições de espaços e emoções, de aventuras e de reviravoltas. É um nunca mais acabar de sentimentos contraditórios, que nos enchem por completo a imaginação. Gostei imenso da forma como esta história é-nos apresentada e as imagens no inicio de cada capítulo apenas ajudam a nossa imaginação a ir mais longe.
Sofia é a típica princesinha (a meu ver fútil) que tem a mania que é boazinha porque dedica parte do seu tempo a ser amiga de Agatha, alguém triste e sombrio que foge de toda a gente e detesta as pessoas. Por isso mesmo é que mora no cemitério e tem um gato chamado Reaper. Acho que isso diz tudo. No entanto, apesar de normalmente as pessoas gostarem sempre do que é bom e bonito eu desde o principio sempre gostei mais da Agatha. E quando ela foi largada na Escola do Bem, acreditei piamente de que não tinha havido engano algum. Sofia, apesar de ser bonita como uma princesa e de ser (+/-) boazinha, não me convence de que está na Escola do Mal por engano. Ao longo de todo o livro Sofia mostra ser alguém fútil, vingativa e mentirosa. Ao contrário de Agatha que em tudo o que faz, é sempre uma amiga fiel, que faz tudo a pensar na sua amiga Sofia e na demanda de voltarem ambas para casa. Sinceramente falando, se eu fosse a Agatha tinha mandado a Sofia às urtigas há muito tempo. De todas as vezes que Sofia prometia que a adorava e que tudo faria para voltar para casa, Agatha era traída pela amiga que arranjava sempre forma de a enganar com falinhas mansas e olhinhos inocentes. 
Até ao final do livro, Agatha sempre se revelou ser uma menina justa e honesta, e no final, teve a recompensa que merecia. Vá que no final Sofia conseguiu redimir-se (depois de expelir toda a maldade que afinal sempre vivia nela) e fazer justiça à amizade que Agatha sempre lhe dedicou.
Estou ansiosa pelo segundo e terceiro volumes desta série.
(Este exemplar foi gentilmente cedido pela Individual Editora, em troca de uma opinião sincera.)

Sem comentários:

Publicar um comentário

O seu comentário é valioso!
Obrigada pela visita e volte sempre!