20/10/2014

Opinião "Conquista o Teu Amor" de J.C. Reed

A cada dia que passa, Brooke Stewart chega à conclusão de que esquecer é difícil… e perdoar é ainda mais. Depois de o homem em quem confiava a ter traído, a única coisa a fazer é seguir em frente e começar uma vida nova. Até que Brooke o reencontra – o irresistível Jett Mayfield. O homem que jogou sujo. O homem que a manipulou. Jett sabe que cometeu erros. Podia ter qualquer mulher, mas ele só quer Brooke. Quando alguns segredos do passado vêm ao de cima e a ameaçam, não há nada capaz de impedir Jett de a proteger. Brooke aceita a sua ajuda, mas será ela a ditar as regras do jogo. Não tenciona perdoar-lhe – e muito menos deixá-lo voltar para os seus braços… 


Começo esta opinião agradecendo à Presença que tão gentilmente cedeu este livro para leitura e opinião.

Tenho de admitir que a leitura deste segundo volume da série, provocou em mim sentimentos contraditórios. Isso porquê? Primeiro porque estava à espera que sendo um segundo livro de uma série fosse um pouco mais "profundo" se é que me faço entender. Em relação ao primeiro achei que pouco ou nada mudou a não ser o facto de Jett ter contado a Brooke a razão pela qual havia escondido a verdade dela. Tem acção? Tem. Tem humor? Tem, quanto mais não seja pela Sylvie que é um autêntico "prato" de boas tiradas e malícia. Quanto a Brooke.... bem.... pensava que ela seria uma personagem mais forte e menos maleável. Acho que ela baixou as defesas demasiadamente depressa. Além disso, o facto da narração ser feita por ela, acaba por tornar-se um pouco cansativa porque é tipo "eu assim...", "eu...", "eu...". Acho algo estranho alguém falar de si próprio como ela o faz. Falar em atributos pessoais e assim. To awkard for me! 
Em relação a Jett, que posso eu dizer? Acho-o um fofo, mas é perfeito demais para ser real. É atencioso, amoroso, sexy e lindo de morrer. Acham mesmo que existem homens assim?! É que o homem, pelos vistos, não tem defeitos, a não ser o facto de ter um ego do tamanho do planeta. A meu ver, acho que Brooke precisa de crescer e amadurecer. Deixa-se levar demasiadamente pelo que tem abaixo da cintura e muito pouco pelo que tem em cima dos ombros. É que aqui nem é facto de ela dar primazia ao coração em detrimento da lógica/razão. Ela simplesmente não consegue pensar em mais nada que não em sexo quando está com ele. Tenho de ser sincera e dizer que gostei mais do primeiro do que este, exactamente pelo facto de estar à espera que este fosse mais maduro e mais "sério". De qualquer modo, a quem já leu o primeiro recomendo a leitura deste, pois alguns mistérios são revelados.

Sem comentários:

Publicar um comentário

O seu comentário é valioso!
Obrigada pela visita e volte sempre!