25/06/2013

A minha opinião - 101 Lugares para ter medo em Portugal - Vanessa Fidalgo

101 Lugares para ter medo em Portugal

Sinopse
Em 2003, os actores interromperam espavoridos as gravações da telenovela O Teu Olhar. Estavam a ser atacados por forças sobrenaturais no castelo de Montemor-o-Velho. A 10 de Outubro de 1982 um estranho fenómeno deixou a caseira da Quinta da Penha Verde, em Sintra, a tremer que nem varas verdes; uma verdadeira chuva de pedras caiu sobre a misteriosa quinta. Já se for à Serra da Estrela e visitar a Lagoa Escura vai poder ouvir falar do monstro que se esconde nas suas profundezas. Entre as aldeias de Lamas de Mouro e Cubalhão, perto de Melgaço, há um local que se chama Botas de Cubalhão, que fica numa encosta onde não existe mais nada além de uma pequena encruzilhada. Conta-se que nessa encruzilhada existe um lobo, capaz de engolir todo e qualquer homem que se aproxime dele pela calada da noite, seja novo ou velho, fraco ou forte! E tudo porque o povo se fartou de encontrar naqueles caminhos escuros, botas, sapatos, pedaços de vestuário e até bocados de pés, que deram nome ao lugar e muitos motivos à imaginação. Numa terra conhecida como Torre da Mesqueira, no concelho de Albufeira, há uma encruzilhada que assusta muito boa gente. Um ponto obscuro entre caminhos onde, segundo a voz do povo, aparecem fantasmas, almas penadas e até mulas sem cabeça! Em pleno centro histórico de Lisboa, situa-se o Pátio do Carrasco que herdou o nome de Luís Alves, o último carrasco de Portugal. Há quem garante que ainda se ouvem os seus urros e gritos. No Palácio de Seteais há quem não consiga dormir no quarto 18. Ainda hoje o Aqueduto das Águas Livres causa arrepios quando se pensa no que aconteceu há 150 anos atrás, altura em que Diogo Alves por lá andava a matar as suas vítimas. Depois do sucesso de Histórias de um Portugal Assombrado, em 4.ª edição, a jornalista Vanessa Fidalgo leva-nos a 101 lugares em Portugal onde é impossível não ficar arrepiado….Um mapa do medo, que percorre ruas, casas e paisagens, contando histórias dos lugares onde passamos todos os dias, mas que estão marcados por acontecimentos terríveis, sejam eles crimes, manifestações do sobrenatural ou simplesmente o fantástico e maravilhoso lendário popular onde não faltam bruxas, fantasmas e aparições. O medo, dizem, é o maior inimigo do homem…

A minha opinião:




O que dizer de um livro destes? É difícil fazer uma review a um livro que nada mais é do que uma compilação dos lugares mais assombrosos em Portugal.


Desde assombrações, lendas, ditos, bruxarias, homicídios, suicídios, Ovnis, crenças e paisagens macabras, esse livro tem de tudo. Confesso que a parte que mais gostei foi a parte que mete mais medo.. a dos fantasmas e assombrações, e a parte das bruxas, bruxarias e mafarricos. As restantes, lendas e afins, a mim não me causaram tanto medo ou impressão... a mim que sou uma medrosa por natureza.

De leitura rápida, a autora consegue prender-nos com a sua maneira simples de contar todos os factos, todas as histórias contadas pelos habitantes das terras onde tudo se passou. 

Recomendo vivamente a leitura, pois assim ficamos a conhecer um pouco mais da cultura do nosso País que é tão recheado de histórias sobrenaturais.

8 comentários:

  1. Parece ser uma leitura interessante para quem goste do género... Gostava só de saber: quantas páginas mais ao menos tem o livro?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Jaque... eu adorei :p

      O livro tem 269 páginas escritas. Tem cerca de 15 páginas com as imagens e depois no final tem umas 25/20 com a bibliografia...

      Eliminar
    2. Boa! Eu gosto de livros completos! Tenho de ir ver preços! ;-)

      Eliminar
  2. Nas lojas esse livro ronda os 14 euros... não achei caro.

    ResponderEliminar
  3. Para o número de páginas e qualidade também não acho! É de capa dura ou normal?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora essa... n tens nada que agradecer... estou aqui para isso ;)

      Beijinhos

      Eliminar

O seu comentário é valioso!
Obrigada pela visita e volte sempre!