26/04/2014

Opinião - "O Beijo Carmesim" de Lara Adrian

Ele chega até ela mais morto que vivo, um enorme estranho vestido de preto, crivado de balas e a perder muito sangue. Enquanto luta para salvá-lo, a médica veterinária Tess Culver não faz ideia de que o homem que se chama Dante não é totalmente humano, mas um membro da Raça, guerreiros vampiros envolvidos numa batalha desesperada.


Num momento único e carregado de erotismo, Tess é lançada no mundo dele - um lugar perigoso e sombrio onde vampiros Renegados vagueiam na noite trazendo o terror. Assombrado por visões de um futuro obscuro, Dante vive e luta como senão houvesse amanhã. Tess é uma complicação de que ele não precisa - mas agora, com os seus irmãos sob ataque, ele deve protegê-la de uma ameaça crescente, que o inclui a ele próprio. Por causa de um beijo rápido e irresistível, ela tornou-se parte do seu reino subterrâneo... E o toque dele desperta-a para dons escondidos, desejos e fomes que ela nem sonhava possuir. Ligados pelo sangue, Dante e Tess devem trabalhar juntos para acabar com os inimigos mortais, ao mesmo tempo que descobrem uma paixão que transcende os próprios limites da vida...



Para começar, e apesar de ter atribuído apenas três estrelas a este livro, achei-o delicioso (habituem-se a este adjectivo, pois vou usá-lo com frequência). Dei três estrelas e passo a explicar: Custou-me imenso a "entrar" na história. O início promete imenso, mas depois das primeiras dez páginas a história abranda muito, tornando-se lenta e pesada. No entanto, quando a acção a sério começa, é muito difícil não ler até ir até à última palavra. Foi o que me aconteceu. A partir da página cento e cinquenta, mais ou menos, foi-me muito complicado largar o raio do livro. Em relação ao que se passa nas suas páginas, não é muito diferente do que se passa no primeiro. Este segundo volume conta-nos a história de Dante e como ele encontra, por acaso, a sua Companheira de Raça, Tess. Ele, desde que se lembra, que é atormentado por visões que ele assume serem da sua própria morte e também ela é assombrada por um dom que tenta a todo o custo, esconder e esquecer. De lembrar que todas as Companheiras de Raça são humanas que podem e devem acasalar com os Guerreiros da Ordem e que todas elas têm um dom. Acontece que pelo meio, descobrimos que os Renegados têm acesso a uma nova "arma" que os deixa mais fortes e ao mesmo tempo gera o caos e a confusão entre Renegados, Humanos e Guerreiros da Ordem. Gostei imenso de uma personagem nova que é introduzida a meio do livro, Chase, a quem Dante "carinhosamente" (not) chama de Harvard (depois descobrem porquê). Aqui a história é, inteiramente da relação entre Dante e Tess, mas também ficamos a conhecer a história de Chase, um elemento dos Refúgios (também ele vampiro), que anda à procura do sobrinho que já está desaparecido há alguns dias. Gostei também da cumplicidade que e do companheirismo que mais uma vez é demonstrado entre os Guerreiros. São amigos, irmãos e são o suporte uns dos outros. 
É complicado, pelo menos para mim, escrever uma opinião mais completa ou elaborada, sem entrar em pormenores. E porque nunca é demais relembrar, não gosto de estragar a leitura de ninguém, assim como não gosto que o façam a mim. Neste tipo de livros, em que se contam as histórias de cada Guerreiro e respectivas Companheiras de Raça, é tudo basicamente a mesma coisa... os nomes é que mudam. São livros que nos cativam pela acção, cenas de sexo (que devo dizer estão na quantidade e qualidade certas), e pelo que existe entre os Guerreiros de Raça. Para compreenderem o que estou a dizer, please leiam os livros que vale a pena!

Recomendo



1 comentário:

  1. Talvez se mos emprestarem... :( não ando agora virada para estes livros...

    ResponderEliminar

O seu comentário é valioso!
Obrigada pela visita e volte sempre!